Preços Agropecuários: Alta de 0,45% na terceira quadrissemana de janeiro

 

            O Índice Quadrissemanal de Preços Recebidos pela Agropecuária Paulista (IqPR)1,2 registrou leve alta de 0,45% na terceira quadrissemana de janeiro de 2012. Separado em grupos de produtos, o IqPR-V (produtos de origem vegetal) apresentou elevação de 3,26%, enquanto o IqPR-A (produtos de origem animal) teve variação negativa de 7,06% (Tabela 1).
 

Tabela 1. Variação Percentual do IqPR, Estado de São Paulo, 3ª Quadrissemana – Janeiro/2012.

São Paulo

São Paulo s/cana

IqPR

0,45

0,59 

IqPR-V

3,26 

8,86 

IqPR-A

- 7,06 

Fonte: Instituto de Economia Agrícola (IEA).

            Quando a cana-de-açúcar é excluída do cálculo do índice devido a sua importância na ponderação dos produtos, o IqPR sobe um pouco e fecha em 0,59% e IqPR-V sobe mais expressivamente, ficando em 8,86% (Tabela 1).
 

Tabela 2 – Variações das Cotações dos Produtos, Estado de São Paulo, 3ª Quadrissemana - Janeiro/2012.

Origem

Produto

Unidade

Cotações (R$)

Variação quadrissemanal (%)

3ª Dez/11

3ª Jan/12

VEGETAL

Algodão

15 kg

56,32

54,01

- 4,12 

Amendoim

sc.25 kg

36,10

33,39

- 7,50 

Arroz

sc.60 kg

30,77

29,66

- 3,61 

Banana nanica

cx.21 kg

14,01

13,77

- 1,75 

Batata

sc.60 kg

14,26

23,57

65,21 

Café

sc.60 kg

480,68

480,38

- 0,06 

Cana-de-açúcar 

kg de ATR

0,5008

0,5021

0,26 

Feijão

sc.60 kg

118,75

157,65

32,76 

Laranja p/indústria

cx.40,8 kg

9,66

10,24

6,03 

Laranja p/Mesa 

cx.40,8 kg

11,57

10,97

- 5,18 

Milho

sc.60 kg

25,17

26,09

3,67 

Soja

sc.60 kg

41,26

42,21

2,29 

Tomate p/ Mesa

cx.22 kg

22,88

29,30

28,06 

Trigo

sc.60 kg

26,16

25,98

- 0,69 

ANIMAL

Carne Bovina

15kg

100,65

97,72

- 2,92 

Carne de Frango

Kg

2,15

1,69

- 21,28 

Carne Suína

15 kg

57,28

55,29

- 3,48 

Leite B

Litro

0,9305

0,9133

- 1,85 

Leite C

Litro

0,8490

0,8220

- 3,18 

Ovos

30 dz

43,67

42,20

- 3,36 

Fonte: Instituto de Economia Agrícola (IEA).


            Os produtos do IqPR que registraram as maiores altas na terceira quadrissemana de janeiro foram: batata (65,21%), feijão (32,76%), tomate para mesa (28,06%) e laranja para indústria (6,03%) (Tabela 2).
 

            A alta vertiginosa do preço da batata deve-se ao final da safra atual e à perspectiva de escassez conjuntural acirrada em virtude da dificuldade de colheita e transporte para o mercado, devido às chuvas, solo encharcado e estradas vicinais alagadas.
 

            No feijão, o atraso da colheita das águas que foi plantada mais tarde que o habitual levou a entradas insuficientes do produto frente às pressões de demanda. A quebra de safra e a perda de qualidade reforçam a elevação conjuntural mais expressiva dos produtos com melhor qualidade, próxima do padrão de exigência do consumidor.
 

            O tomate, produto perecível e, por isso mesmo, com preços com acirrada amplitude de variação conjuntural, em função da oferta de curto prazo, levam à gangorra de preços. Neste momento, ocasionada pelas chuvas recentes, houve redução da oferta e, em conseqüência, aumentou o preço recebido pelos produtores.
 

            Na laranja para indústria a desvalorização cambial e a entrada da entressafra levaram a preços mais elevados, face às disposições contratuais.
 

            Os produtos que apresentaram as maiores quedas de preços nesta quadrissemana foram: carne de frango (21,28%), amendoim (7,50%), laranja para mesa (5,18%) e algodão (4,12%) (Tabela 2).
 

            Na carne de frango, com o final do período de festas, o inicio do ano é marcado pelo recuo da demanda e consequente queda nas cotações. Todavia, em 2012 o declínio foi mais acentuado que em anos anteriores, em virtude da quantidade de aves estocadas depois das festas de final de ano.
 

            No amendoim a entrada da produção da segunda etapa de colheita da safra das águas e as perspectivas de oferta mais consistente levou a queda de preços do produto no campo.
 

            A boa oferta de laranja para mesa no intervalo desta quadrissemana recuou os preços recebidos dos produtores paulistas ao ponto de acentuar as preocupações referentes às suas remunerações.
 

            No período analisado, 7 produtos apresentaram alta de preços (todos de origem vegetal) e 13 apresentaram queda (7 vegetais e todos os de origem animal, que perfazem 6).

_________________________________________________________________
¹A fórmula de cálculo do índice (IqPR) é a de Laspeyres modificada, ponderada pelo valor da produção agropecuária paulista. As cotações diárias de preços são levantadas pelo IEA e divulgadas no Boletim Diário de Preço. As variações são obtidas comparando-se os preços médios das quatro últimas semanas (referência) com os preços médios das quatro primeiras semanas (base), sendo a referência = 24/12/2011 a 23/01/2012 e base = 24/11/2011 a 23/12/2011.
 

²Artigo completo com a metodologia: Pinatti, E.; Sachs, R.C.C.; Angelo, J.A.; Gonçalves, J.S. Índice quadrissemanal de preços recebidos pela agropecuária Paulista (IqPR) e seu comportamento em 2007. Informações Econômicas, São Paulo, v.38, n.9, p.22-34, set.2008. Disponível em: http://www.iea.sp.gov.br/out/verTexto.php?codTexto=9573

 

Data de Publicação: 30/01/2012

Autor(es): Luis Henrique Perez (lhperez@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Danton Leonel de Camargo Bini (danton.camargo@sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Eder Pinatti (pinatti@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
José Alberto Angelo (jose.angelo@sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
José Sidnei Gonçalves (sydy@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor