Preços Agropecuários: alta de 0,20% na primeira quadrissemana de maio

 

            O Índice Quadrissemanal de Preços Recebidos pela Agropecuária Paulista (IqPR)1,2 registrou alta de 0,20% na primeira quadrissemana de maio de 2012. Separado em grupos de produtos, o IqPR-V (produtos de origem vegetal) apresentou variação positiva de 0,62%, enquanto que o IqPR-A (produtos de origem animal) fechou em queda de 0,93% (Tabela 1).
 


Tabela 1. Variação Percentual do IqPR, Estado de São Paulo, 1ª Quadrissemana – Maio/2012.

São Paulo

São Paulo - sem cana

IqPR

0,20

0,28

IqPR-V

0,62 

1,60

IqPR-A

- 0,93

Fonte: Instituto de Economia Agrícola (IEA).

 

            Quando a cana-de-açúcar é excluída do cálculo do índice devido a sua importância na ponderação dos produtos, tanto o IqPR como o IqPR-V apresentam altas e fecham positivamente em 0,28 e 1,60%, respectivamente (Tabela 1).
 


Tabela 2 – Variações das Cotações dos Produtos, Estado de São Paulo, 1ª Quadrissemana - Maio/2012.

Origem

Produto

Unidade

Cotações (R$)

Variação quadrissemanal (%)

1ª Abr/12

1ª Mai/12

VEGETAL

Algodão

15 kg

53,70
52,23
- 2,73 

Amendoim

sc. 25 kg

30,15
29,61
- 1,80 

Arroz

sc. 60 kg

31,09
31,29
0,65 

Banana nanica

 kg

0,69
0,79
13,31 

Batata

sc. 50 kg

20,95
29,54
41,04 

Café

sc. 60 kg

376,05
368,81
- 1,93 

Cana-de-açúcar 

kg de ATR

0,5005
0,5011
0,11 

Feijão

sc. 60 kg

160,00
184,03
15,02 

Laranja p/ Mesa 

cx. 40,8 kg

11,77
11,53
- 2,06 

Milho

sc. 60 kg

24,68
22,23
- 9,92 

Soja

sc. 60 kg

47,55
52,02
9,40 

Tomate p/ Mesa

cx. 22 kg

14,90
11,34
- 23,92 

Trigo

sc. 60 kg

26,52
27,94
5,37 

ANIMAL

Carne Bovina

15 kg

94,65
95,18
0,56 

Carne de Frango

Kg

1,80
1,76
- 2,34 

Carne Suína

15 kg

44,04
42,18
- 4,21 

Leite B

Litro

0,9111
0,9233
1,34 

Leite C

Litro

0,8320
0,8423
1,23 

Ovos

30 dz

48,50
45,91
- 5,34 

Fonte: Instituto de Economia Agrícola (IEA).


            Os produtos do IqPR que registraram as maiores altas na primeira quadrissemana de maio foram: batata (41,04%), feijão (15,02%), banana nanica (13,31%), soja (9,40%) e trigo (5,37%) (Tabela 2).
 

            Uma quantidade excedente de batata entre fevereiro e abril, por conta do verão seco no início de 2012, fez com que muitos produtores atrasassem suas colheitas para o começo de maio, esperando por preços remuneradores. Daí o reajuste verificado nos últimos períodos.
 

            No feijão, a alta de preços se dá pela conjunção de várias condicionantes, uma vez que a safra das águas mostrou volumes insuficientes, dando espaço a um primeiro movimento de elevação, no momento seguinte o plantio das secas, em muitas regiões relevantes, está problematizado pela expansão da soja, concorrente em área, trazendo consigo a mosca branca (vetor de doença limitante ao mosaico dourado) e, mais recentemente, a seca nordestina que atinge a importante região produtora de Irecê/BA, levou à precificação da escassez futura. Espera-se movimento errático nos próximos meses.
 

            As temperaturas amenas do outono estimulam o consumo e, pelo lado da oferta, reduzem o ritmo de crescimento dos cachos da fruta, propiciando o aumento de preços sazonal típico da banana.
 

            Para a soja, os recentes impulsos de desvalorização da moeda brasileira e a manutenção da demanda chinesa, com a oferta no mercado mundial, no curto prazo, não produz a recuperação dos estoques, ademais a menor safra do grão para 2012, vêm garantindo preços elevados para o produto.
 

            Os produtos que apresentaram as maiores quedas de preços nesta quadrissemana foram: tomate para mesa (23,92%), milho (9,92%), ovos (5,34%) e carne suína (4,21%) (Tabela 2).
 

            Para o tomate para mesa, após seqüência de preços elevados reverte a tendência na gangorra de preços para uma nova seqüência de baixa.
 

            A maior oferta de milho neste final de safra e as pressões para que os produtores realizassem vendas para honrar compromissos com o fim dos prazos dos financiamentos, levou a maior disponibilidade e queda dos preços internos.
 

            Para os ovos nos períodos posteriores a quaresma e preços maiores nestes, resultou em retração do consumo ocasionando assim a queda dos preços deste produto.
 

            No período analisado, 10 produtos apresentaram alta de preços (7 de origem vegetal e 3 de origem animal) e 9 apresentaram queda (6 vegetais e 3 de origem animal).
________________________________________________________________
¹A fórmula de cálculo do índice (IqPR) é a de Laspeyres modificada, ponderada pelo valor da produção agropecuária paulista. As cotações diárias de preços são levantadas pelo IEA e divulgadas no Boletim Diário de Preço. As variações são obtidas comparando-se os preços médios das quatro últimas semanas (referência) com os preços médios das quatro primeiras semanas (base), sendo a referência =
09/04/2012 a 08/05/2012 e base = 09/03/2012 a 08/04/2012.

²Artigo completo com a metodologia: Pinatti, E.; Sachs, R.C.C.; Angelo, J.A.; Gonçalves, J.S. Índice quadrissemanal de preços recebidos pela agropecuária Paulista (IqPR) e seu comportamento em 2007. Informações Econômicas, São Paulo, v.38, n.9, p.22-34, set.2008. Disponível em: http://www.iea.sp.gov.br/out/verTexto.php?codTexto=9573

Data de Publicação: 14/05/2012

Autor(es): Luis Henrique Perez (lhperez@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Danton Leonel de Camargo Bini (danton.camargo@sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Eder Pinatti (pinatti@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
José Alberto Angelo (jose.angelo@sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
José Sidnei Gonçalves (sydy@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor