Preços Agropecuários: queda de 0,41% na terceira quadrissemana de maio

 

            O Índice Quadrissemanal de Preços Recebidos pela Agropecuária Paulista (IqPR)1,2 registrou queda de 0,41% na terceira quadrissemana de maio de 2012. Separado em grupos de produtos, o IqPR-V (produtos de origem vegetal) apresentou variação positiva de 0,55%, enquanto que o IqPR-A (produtos de origem animal) recuou 2,98% (Tabela 1).
 

Tabela 1. Variação Percentual do IqPR, Estado de São Paulo, 3ª Quadrissemana – Maio/2012.

São Paulo

São Paulo - sem cana

IqPR

- 0,41

- 0,24

IqPR-V

0,55 

2,75

IqPR-A

- 2,98

Fonte: Instituto de Economia Agrícola (IEA).

            Quando a cana-de-açúcar é excluída do cálculo do índice devido a sua importância na ponderação dos produtos, o IqPR cai menos e fecha em 0,24%. Já o IqPR-V sobe e fecha positivamente em 2,75% (Tabela 1).
 

Tabela 2 – Variações das Cotações dos Produtos, Estado de São Paulo, 3ª Quadrissemana - Maio/2012.

Origem

Produto

Unidade

Cotações (R$)

Variação quadrissemanal (%)

3ª Abr/12

3ª Mai/12

VEGETAL

Algodão

15 kg

52,52

52,29

- 0,44 

Amendoim

sc. 25 kg

29,19

30,68

5,10 

Arroz

sc. 60 kg

30,46

33,16

8,88 

Banana nanica

kg

0,7474

0,7780

4,10 

Batata

sc. 50 kg

24,75

29,46

19,06 

Café

sc. 60 kg

367,37

367,90

0,14 

Cana-de-açúcar 

kg de ATR

0,5014

0,4984

- 0,59 

Laranja p/Mesa 

cx. 40,8 kg

11,98

10,63

- 11,27 

Milho

sc. 60 kg

23,55

21,31

- 9,50 

Soja

sc. 60 kg

49,70

53,98

8,61 

Tomate p/ Mesa

cx. 22 kg

11,69

17,98

53,81 

Trigo

sc. 60 kg

27,29

27,83

1,99 

ANIMAL

Carne Bovina

15 kg

95,25

94,29

- 1,01 

Carne de Frango

Kg

1,80

1,71

- 5,28 

Carne Suína

15 kg

40,76

43,48

6,65 

Leite B

Litro

0,9143

0,9346

2,23 

Leite C

Litro

0,8410

0,8439

0,34 

Ovos

30 dz

49,44

43,08

- 12,85 

Fonte: Instituto de Economia Agrícola (IEA).


            Os produtos do IqPR que registraram as maiores altas na terceira quadrissemana de maio foram: tomate para mesa (53,81%) batata (19,06%), arroz (8,88%), soja (8,61%) e carne suína (6,65%) (Tabela 2).
 

            No tomate para mesa, com a ocorrência de temperaturas amenas e chuvas que reduziram a oferta nas regiões produtoras nas últimas semanas e com a melhoria na qualidade do produto, reverteu-se o movimento de queda dos valores recebidos pelos produtores verificado até o início de maio e mais uma vez se manifestou a gangorra de preços típica de vegetais perecíveis.
 

            A safra da seca da batata foi menor do que no ano passado, provocando a elevação de seus preços.
 

            No caso do arroz, a redução da oferta ocasionada por uma safra menor no comparativo com o ano anterior e a manutenção de uma demanda firme no mercado internacional (com a desvalorização cambial) aumentaram as exportações do produto brasileiro e reajustaram os preços recebidos pelos arrozeiros.
 

            Para a soja, os recentes impulsos de desvalorização da moeda brasileira, a manutenção da demanda chinesa e uma oferta no mercado mundial a curto prazo que não produzem a recuperação dos estoques são os principais itens que vêm garantindo preços elevados para o produto.
 

            Os produtos que apresentaram as maiores quedas de preços nesta quadrissemana foram: ovos (12,85%), laranja para mesa (11,27%), milho (9,50%) e carne de frango (5,28%) (Tabela 2).
 

            Para os ovos, com os preços maiores na quaresma e nas semanas pós-quaresma, associado ao retorno do consumo normal de carne, resultou em retração na demanda do produto, ocasionando assim a queda das cotações.
 

            A laranja para mesa, face à aproximação do início da safra, numa conjuntura de preços cadentes do suco de laranja no mercado internacional (maior que a recente desvalorização cambial) e devido à entrada de outras frutas inclusive cítricas (como as tangerinas), apresenta-se expectativas de queda dos preços internos.
 

            A maior oferta de milho neste final de safra e as pressões para que os produtores realizem vendas para honrar compromissos com o fim dos prazos dos financiamentos levaram à uma maior disponibilidade do produto e à queda dos preços internos.
 

            No período analisado, 11 produtos apresentaram alta de preços (8 de origem vegetal e 3 de origem animal) e 7 apresentaram queda (4 vegetais e 3 de origem animal).
 

            Dedicamos ao Amigo e Pesquisador Científico Dr. José Sidnei Gonçalves, falecido em 21 de maio de 2012.
_____________________________________________________________

¹A fórmula de cálculo do índice (IqPR) é a de Laspeyres modificada, ponderada pelo valor da produção agropecuária paulista. As cotações diárias de preços são levantadas pelo IEA e divulgadas no Boletim Diário de Preço. As variações são obtidas comparando-se os preços médios das quatro últimas semanas (referência) com os preços médios das quatro primeiras semanas (base), sendo a referência = 24/04/2012 a 23/05/2012 e base = 24/03/2012 a 23/04/2012.

²Artigo completo com a metodologia: Pinatti, E.; Sachs, R.C.C.; Angelo, J.A.; Gonçalves, J.S. Índice quadrissemanal de preços recebidos pela agropecuária Paulista (IqPR) e seu comportamento em 2007. Informações Econômicas, São Paulo, v.38, n.9, p.22-34, set.2008. Disponível em: http://www.iea.sp.gov.br/out/verTexto.php?codTexto=9573
 
 

José Sidnei Gonçalves (in memoriam)

  

 

Data de Publicação: 28/05/2012

Autor(es): Luis Henrique Perez (lhperez@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Danton Leonel de Camargo Bini (danton@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Eder Pinatti (pinatti@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
José Alberto Angelo (alberto@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor