Preços Agropecuários: alta de 1,43% na segunda quadrissemana de Dezembro

            O Índice Quadrissemanal de Preços Recebidos pela Agropecuária Paulista (IqPR)1,2 registrou alta de 1,43% na segunda quadrissemana de Dezembro de 2012. Separado em grupos de produtos, tanto o IqPR-V (produtos de origem vegetal) como o IqPR-A (produtos de origem animal) fecharam positivos, respectivamente em 0,27% e 4,58% (Tabela 1).
 

Tabela 1. Variação Percentual do IqPR, 2ª Quadrissemana - Dezembro/2012, Estado de São Paulo.

São Paulo

São Paulo - sem cana

IqPR

1,43 

3,34

IqPR-V

0,27

2,01

IqPR-A

4,58 

-

Fonte: Instituto de Economia Agrícola (IEA).

            Quando a cana-de-açúcar (que no período teve queda de 0,71%) é excluída do cálculo do índice devido a sua importância na ponderação dos produtos, o IqPR atinge 3,34% e o IqPR-V fecha positivo em 2,01% (Tabela 1).
 

Tabela 2. Variações das Cotações dos Produtos, 2ª Quadrissemana - Dezembro/2012, São Paulo.

Origem

Produto

Unidade

Cotações (R$)

Variação (%)

2ª Nov/12

2ª Dez/12

VEGETAL

Algodão

15 kg

52,39

52,61

0,42 

13ª

Amendoim

sc.25 kg

33,75

32,04

- 5,07 

Arroz

sc.60 kg

47,61

47,53

- 0,16 

Banana nanica

kg

0,4319

0,4900

13,45 

Batata

sc.50 kg

50,03

41,38

- 17,30 

Café

sc.60 kg

355,31

330,64

- 6,94 

Cana-de-açúcar

kg de ATR

0,4787

0,4753

- 0,71 

Feijão

sc.60 kg

151,81

171,51

12,98 

Laranja p/ Indústria

cx.40,8 kg

6,58

6,35

- 3,44 

Laranja p/ Mesa

cx.40,8 kg

6,72

6,86

2,05 

10ª

Milho

sc.60 kg

27,87

29,42

5,55 

Soja

sc.60 kg

72,89

68,05

- 6,63 

Tomate p/ Mesa

cx.22 kg

20,54

30,92

50,49 

Trigo

sc.60 kg

34,86

35,79

2,66 

ANIMAL

Carne Bovina

15kg

96,38

97,03

0,67 

12ª

Carne de Frango

Kg

2,50

2,78

11,33 

Carne Suína

15 kg

62,97

69,22

9,92 

Leite B

Litro

0,9431

0,9715

3,01 

Leite C

Litro

0,8654

0,8769

1,32 

11ª

Ovos

30 dz

48,97

53,33

8,91 

Fonte: Instituto de Economia Agrícola

            Os produtos do IqPR que registraram as maiores altas nesta segunda quadrissemana do mês de dezembro foram: tomate para mesa (50,49%), banana nanica (13,45%), feijão (12,98%), carne de frango (11,33%) e carne suína (9,92%) (Tabela 2).
 

            A oferta regular de tomate durou poucas semanas e seu preço voltou apresentar alta, caracterizando seu comportamento típico de 'gangorra'.
 

            Em um ano com clima completamente atípico, os preços da banana (que apresentaram baixas em mês padrão de pico) agora apresentam alta em período em que a queda de preços seria o normal.
 

            A ausência de chuvas em agosto e setembro atrasou o plantio das águas do feijão e, consequentemente adiou o inicio da colheita, podendo levar a forte elevação de preços no mês de dezembro.
 

            O controle da oferta, com a redução no alojamento de pintos, adicionado ao momento de grande demanda, vem provocando a elevação dos preços da carne de frango.
 

            No caso da carne suína, o aumento nos volumes de cevados, direcionados ao mercado internacional, via exportação, reduziu a competição no mercado interno e melhorou os preços recebidos pelos suinocultores. O reforço na renda do consumidor dado pelo décimo terceiro salário e a proximidade das festas de fim de ano também estimulam a alta.
 

            Os produtos que apresentaram as maiores quedas de preços nesta quadrissemana foram: batata (17,30%), café (6,94%), soja (6,63%), amendoim (5,07%) e laranja para indústria (3,44%) (Tabela 2).
 

            A produtividade da batata voltou ao normal, melhorando a oferta e consequentemente levando à queda nos preços quando comparados ao período anterior, afetado pelo forte calor do fim de inverno.
 

            A queda nos preços do café corresponde à redução nas cotações das principais bolsas internacionais (houve grande volume de vendas para realização de lucros sobre valorização anterior).
 

            Para a soja, a divulgação de valores maiores para a safra norte-americana do produto pelo USDA/USA, além da expectativa da boa produção no mercado interno influenciaram a redução das cotações.
 

            A liberação de estoques de amendoim superou a demanda, provocando a redução dos seus preços.
 

            A queda nos preços da laranja para indústria pode ser atribuída à oferta estar sendo superior à compra pelas indústrias.
 

            No período analisado, 13 produtos apresentaram alta de preços (7 de origem vegetal e 6 de origem animal) e 7 apresentaram queda (todos de origem vegetal).
_______________________________________________________
¹A fórmula de cálculo do índice (IqPR) é a de Laspeyres modificada, ponderada pelo valor da produção agropecuária paulista. As cotações diárias de preços são levantadas pelo IEA e divulgadas no Boletim Diário de Preço. As variações são obtidas comparando-se os preços médios das quatro últimas semanas (referência) com os preços médios das quatro primeiras semanas (base), sendo a referência = 16/11/2012 a 15/12/2012 e base = 16/10/2012 a 15/11/2012.

²Artigo completo com a metodologia: Pinatti, E.; Sachs, R.C.C.; Angelo, J.A.; Gonçalves, J.S. Índice quadrissemanal de preços recebidos pela agropecuária Paulista (IqPR) e seu comportamento em 2007. Informações Econômicas, São Paulo, v.38, n.9, p.22-34, set.2008. Disponível em: http://www.iea.sp.gov.br/out/verTexto.php?codTexto=9573

Data de Publicação: 20/12/2012

Autor(es): Luis Henrique Perez (lhperez@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Danton Leonel de Camargo Bini (danton.camargo@sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Eder Pinatti (pinatti@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
José Alberto Angelo (jose.angelo@sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor