Preços agropecuários: alta de 2,11% na terceira quadrissemana de novembro

            O Índice Quadrissemanal de Preços Recebidos pela Agropecuária Paulista (IqPR)1 registrou alta de 2,11%, na terceira quadrissemana de novembro de 2007. Os produtos de origem vegetal (IqPR-V) e animal (IqPR-A) apresentaram aumento, respectivamente, de 0,64% e 5,13% (Tabela 1).

Tabela 1. Variação do IqPR, Estado de São Paulo, 3ª quadrissemana de Novembro de 2007

São Paulo
São Paulo s/cana
IqPR
2,11 %
4,06 %
IqPR-V
0,64 %
3,03 %
IqPR-A
5,13 %
-
Fonte: Instituto de Economia Agrícola

            Quando a cana-de-açúcar é excluída do cálculo do índice, a variação positiva do IqPR atinge 4,06% e o IqPR-V sobe para 3,03%, influenciados principalmente pelas altas nos preços do feijão, da batata, das carnes bovina e suína, do milho, do amendoim e da soja (Tabela 2).

Tabela 2 - Variações das Cotações dos Produtos, Estado de São Paulo, 3ª quadrissemana de Novembro de 2007

Origem
Produto
Preços (R$)
Variação

(%)

3ª Outubro/07
3ª Novembro/07
VEGETAL
Algodão
39,02
38,80
- 0,56 
Amendoim
29,02
32,03
10,34 
Arroz
33,27
32,00
- 3,82 
Banana nanica
11,00
8,48
- 22,95 
Batata
33,74
45,28
34,20 
Café
251,67
237,05
- 5,81 
Cana-de-açúcar 
247,67
243,35
- 1,74 
Feijão
111,67
153,98
37,89 
Laranja p/ Indústria
9,93
10,27
3,42 
Laranja p/ Mesa 
11,54
11,55
0,09 
Milho
23,35
25,87
10,78 
Soja
36,55
39,03
6,78 
Tomate p/ Mesa
26,81
12,08
- 54,93 
Trigo
36,17
34,31
- 5,15 
ANIMAL
Carne Bovina
59,63
66,28
11,15 
Carne de Frango
1,60
1,56
- 2,81 
Carne Suína
45,71
48,23
5,49 
Leite B
0,75
0,74
- 2,47 
Leite C
0,72
0,72
0,19 
Ovos
35,99
35,14
- 2,37 
Fonte: Instituto de Economia Agrícola

            Os produtos do IqPR que apresentaram maior alta são: feijão (37,89%), batata (34,20%), carne bovina (11,15%), milho (10,78%), amendoim (10,34%), soja (6,78%) e carne suína (5,49%) (Tabela 2).

            O preço do feijão aumentou em virtude da pouca oferta conjuntural, pois o abastecimento do produto se dá pelo encadeamento de safras de diversas regiões brasileiras que se complementam na oferta na maioria dos meses do ano. Portanto, basta uma quebra significativa na colheita de uma safra regional para que os preços sofram um aumento por falta conjuntural de produto. Isto ocorre até que a entrada da colheita de outra região normalize o mercado. Importante destacar que praticamente não existe feijão nas mãos de lavradores e, assim, quem consegue produção antes da entrada da safra obtêm boas remunerações.

            O final da safra restringiu a oferta da batata, que resultou no aumento de preço do produto. No caso da carne bovina, a valorização deve-se à restrição de animais para abate por parte dos pecuaristas, que aguardam melhor momento (preço) para vender o seu produto, frente a uma pressão de demanda oriunda das exportações e do consumo interno. Essa alta está ajudando a capitalizar os produtores, que hoje estão praticando em média preços superiores a 35%, em comparação com os preços de novembro de 2006, ou seja, um ano atrás.

            Já o aumento no preço da soja reflete a valorização da commodity no mercado internacional, enquanto a alta do milho reflete a pouca oferta do produto devido ao atraso do plantio.

            Os produtos que apresentaram queda de preços naterceira quadrissemana de novembro são: tomate para mesa (54,93%), banana nanica (22,95%), café (5,81%), trigo (5,15%), arroz (3,82%), carne de frango (2,81%) e ovos (2,37%) (Tabela 2).

            O tomate de mesa e a banana nanica apresentaram maior oferta, o que levou à redução dos preços praticados nestes produtos. No trigo e no arroz, o câmbio e a maior oferta de produtos no âmbito do Mercosul impactaram os preços para baixo. Já na carne de frango, o aumento da disponibilidade no mercado interno levou ao recuo nos preços.

            Quanto ao café, nas regiões paulistas produtoras de arábica, nas últimas semanas de outubro, a retomada das chuvas fez aparecer floradas promissoras que, se atingirem a frutificação, garantirão boa produtividade na próxima colheita, levando a preços cadentes.

            No período analisado, 10 produtos apresentaram alta de preços e outros 10 apresentaram queda. Para ambos os casos, sete são de origem vegetal e três de origem animal.
_______________________________________________________________________
¹A fórmula de cálculo do índice (IqPR) é a de Laspeyres modificada, ponderada pelo valor da produção agropecuária paulista. As cotações diárias de preços são levantadas pelo IEA e divulgadas no Boletim Diário de Preço. As variações são obtidas comparando-se os preços médios das quatro últimas semanas (referência) com os preços médios das quatro primeiras semanas (base), sendo a referência = 24/10/2007 a 23/11/2007 e base = 24/09/2007 a 23/10/2007.


Data de Publicação: 28/11/2007

Autor(es): Eder Pinatti (pinatti@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
José Sidnei Gonçalves (sydy@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
José Alberto Angelo (alberto@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Raquel Castelluci Caruso Sachs (raquelsachs@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor