Preços Agropecuários: alta de 3,81% na segunda quadrissemana de julho

            Na segunda quadrissemana de julho de 2008, o Índice Quadrissemanal de Preços Recebidos pela Agropecuária Paulista (IqPR)1 registrou alta de 3,81%. Os produtos de origem vegetal (IqPR-V) e os de origem animal (IqPR-A) apresentaram variação positiva de 2,42% e 7,24%, respectivamente (Tabela 1). Isso configura a continuidade da pressão inflacionária dos preços agropecuários (principalmente os produtos de origem animal), que têm aumentado mais que os indicadores globais da inflação brasileira.

Tabela 1. Variação do IqPR, Estado de São Paulo, 2ª quadrissemana de julho de 2008.

São Paulo
São Paulo s/cana
IqPR
3,81% 
7,41% 
IqPR-V
2,42% 
7,57% 
IqPR-A
7,24% 
Fonte: Instituto de Economia Agrícola

            Quando a cana-de-açúcar é excluída do cálculo do índice, a variação do IqPR fica mais alta e vai para 7,41%, influenciada pelas altas dos produtos de origem animal. O IqPR-V (cálculo somente dos produtos vegetais) aumenta mais e fica em 7,57% (Tabela 2).

Tabela 2 - Variações das Cotações dos Produtos, Estado de São Paulo, 2ª quadrissemana de julho de 2008.

Origem
Produto
Preços (R$)
Variação

(%)

2ª Junho
2ª Julho
VEGETAL
Algodão
42,80
42,90
0,24 
Amendoim
35,73
34,70
- 2,87 
Arroz
40,33
40,33
0,00 
Banana nanica
11,32
11,81
4,36 
Batata
41,50
38,19
- 7,97 
Café
244,74
254,10
3,82 
Cana-de-açúcar 
252,91
249,48
- 1,35 
Laranja p/ Indústria
9,33
11,45
22,70 
Laranja p/ Mesa 
12,77
11,70
- 8,41 
Milho
22,38
24,12
7,77 
Soja
43,58
49,43
13,42 
Tomate p/ Mesa
33,05
45,38
37,30 
Trigo
45,83
43,02
- 6,15 
ANIMAL
Carne Bovina
82,99
90,33
8,85 
Carne de Frango
1,67
1,85
10,53 
Carne Suína
59,52
61,17
2,78 
Leite B
0,81
0,82
1,93 
Leite C
0,75
0,80
5,86 
Ovos
45,67
45,26
- 0,90 
Fonte: Instituto de Economia Agrícola


 

            Os produtos do IqPR que registraram maiores altas nesta quadrissemana foram: tomate para mesa (37,30%), laranja para indústria (22,70%), soja (13,42%), carne de frango (10,53%), carne bovina (8,85%), milho (7,77%) e leite tipo C (5,86%) (Tabela 2).

            Para o tomate de mesa, a produção foi prejudica pelo clima (baixas temperaturas), o que reduziu sua oferta, elevando sua cotação. A laranja para indústria a baixa oferta do produto, devido à seca na florada (segundo semestre de 2007) prejudicando a produção das variedades precoces, ocasionado o aumento da cotação.

            Para a carne bovina, a redução de oferta de animais por parte dos pecuaristas para o abate forçou os frigoríficos a pagarem mais pelo boi gordo, porém com menor intensidade que nos períodos anteriores, já que os frigoríficos adquiram um volume maior de animais de outros estados. As demais carnes também apresentaram a mesma tendência, pois com as altas das três carnes, o consumidor não tem como exercer uma pressão baixista (com a diminuição de compra do produto que está em alta e migrando para o produto com preço mais baixo). O aumento das carnes está enquadrado em contexto mais amplo (que atinge todos os produtos, mas é mais evidente nos produtos de origem animal).

            Os produtos que apresentaram queda de preços na segunda quadrissemana de julho foram: laranja para mesa (8,41%), batata (7,97%), trigo (6,15%) e amendoim (2,87%) (Tabela 2).

            Para a laranja de mesa o que vem contribuindo para a queda das cotações é o efeito safra, associado ao tradicional menor consumo de sucos caseiros nos meses de inverno.

            No período analisado, 12 produtos apresentaram alta de preços (7 de origem vegetal e 5 de origem animal) e 6 apresentaram queda (5 de origem vegetal e 1 de origem animal). Comparando o índice desta segunda quadrissemana (3,81%) com a primeira quadrissemana (3,87%), tem-se um incremento de 0,44 ponto percentual.
________________________________________________________________________
¹ A fórmula de cálculo do índice (IqPR) é a de Laspeyres modificada, ponderada pelo valor da produção agropecuária paulista. As cotações diárias de preços são levantadas pelo IEA e divulgadas no Boletim Diário de Preço. As variações são obtidas comparando-se os preços médios das quatro últimas semanas (referência) com os preços médios das quatro primeiras semanas (base), sendo a referência 16/06/2008 a 15/07/2008 e base =16/05/2008 a 15/06/2008.

Data de Publicação: 21/07/2008

Autor(es): Eder Pinatti (pinatti@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Raquel Castelluci Caruso Sachs (raquelsachs@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
José Alberto Angelo (alberto@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
José Sidnei Gonçalves (sydy@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor