Preços Agropecuários: queda de 3,87% na terceira quadrissemana de setembro

            Na terceira quadrissemana de setembro de 2008, o Índice Quadrissemanal de Preços Recebidos pela Agropecuária Paulista (IqPR)1 registrou queda de 3,87%. Os produtos de origem vegetal (IqPR-V) e os de origem animal (IqPR-A) apresentaram variação negativa de 4,65% e 1,93%, respectivamente (Tabela 1).

Tabela 1. Variação Percentual do IqPR, Estado de São Paulo, 3ª Quadrissemana de Setembro de 2008.

São Paulo
São Paulo s/cana
IqPR
- 3,87 
- 6,71 
IqPR-V
- 4,65 
- 11,27 
IqPR-A
- 1,93 
Fonte: Instituto de Economia Agrícola

            Quando a cana-de-açúcar é excluída do cálculo do índice, as variações permanecem negativas e com maior intensidade, assim o IqPR fica com –6,71% e o IqPR-V vai para –11,27% (Tabela 1).

Tabela 2 - Variações das Cotações dos Produtos, Estado de São Paulo, 3ª Quadrissemana de Setembro de 2008.

Origem
Produto
Cotações (R$)
Variação

(%)

3ª Agosto
3ª Setembro
VEGETAL
Algodão
42,14
42,00
- 0,32 
Amendoim
33,00
33,10
0,31 
Arroz
42,47
42,79
0,75 
Banana nanica
11,61
9,87
- 15,05 
Batata
34,59
17,34
- 49,87 
Café
247,27
251,86
1,86 
Cana-de-açúcar 
246,89
247,39
0,20 
Feijão
161,25
167,05
3,59 
Laranja para Indústria
11,48
9,03
- 21,37 
Laranja para Mesa 
12,86
11,65
- 9,42 
Milho
22,05
20,07
- 8,97 
Soja
42,94
43,31
0,85 
Tomate p/ Mesa
23,32
21,55
- 7,60 
Trigo
38,46
27,18
- 29,34 
ANIMAL
Carne Bovina
88,64
88,48
- 0,17 
Carne de Frango
1,93
1,91
- 1,06 
Carne Suína
64,38
63,00
- 2,14 
Leite B
0,85
0,78
- 7,71 
Leite C
0,78
0,76
- 3,18 
Ovos
47,17
43,20
- 8,42 
Fonte: Instituto de Economia Agrícola

            Os produtos do IqPR que registraram alta nesta quadrissemana foram: feijão (3,59%), café (1,86%), soja (0,85%), arroz (0,75%), amendoim (0,31%) e a cana-de-açúcar (0,20%) (Tabela 2).

            O final da colheita do feijão nas regiões produtoras do Estado de São Paulo, a oferta moderada pela lenta entrada das colheitas de inverno, numa situação de consumo aquecido pelo aumento do número de comensais face ao processo de mobilidade social vivido no Brasil, refletiram nas cotações do produto com o aumento dos preços pelos produtores. Dependendo do ritmo da entrada de feijão novo da safra de inverno, os preços recebidos podem sofrer aceleração de alta nas quadrissemanas seguintes.

            No caso do café, ainda que em plena crise mundial por ter ficado fora do boom de preços das commodities agropecuárias no mercado internacional – fato que ocorreu também com o açúcar- há um certo movimento de recuperação, mas a partir de um patamar proporcionalmente baixo, em relação às mercadorias do complexo soja, por exemplo.

            Os produtos que apresentaram maiores quedas de preços na terceira quadrissemana de setembro foram: batata (49,87%), trigo (29,34%), laranja para indústria (21,37%), banana nanica (15,05%), laranja para mesa (9,42%), milho (8,97%), ovos (8,42) e o leite tipo B (7,71%) (Tabela 2).

            A queda do preço da batata é conseqüência da boa produção no período, em virtude do clima favorável. O crescimento da produção de ovos e a boa oferta do leite tipo B, contribuíram para as quedas das suas cotações, sendo que no último caso já estejam presentes reflexos da realidade internacional.

            A crise financeira internacional, com a retração da liquidez corrente e a fuga dos investidores do mercado de commodities para se protegerem nos mercados de títulos públicos, produziu impacto nas bolsas de mercadorias afetando o mercado físico de curto prazo, representado pelos preços recebidos. É o caso do trigo, onde a queda dos preços e bons estoques das indústrias têm pressionado a cotação para baixo e do milho, em que a diminuição dos preços internacionais aliou-se à boa disponibilidade do produto no mercado interno, levando às cotações mais baixas.

            No caso da laranja para indústria, também as cotações internacionais do suco recuaram, pressionadas pelo menor consumo com a concorrência de sucos de outros sabores e prontos, produzindo redução nos preços internos da fruta.

            No período analisado, apenas 6 produtos apresentaram alta de preços (todos de origem vegetal) e 14 apresentaram queda (8 de origem vegetal e 6 produtos de origem animal). Comparando o índice desta terceira quadrissemana (-3,87%) com a segunda quadrissemana (-4,51%), tem-se um decréscimo de 0,64 ponto percentual na variação do índice, revelando menor intensidade da queda dos preços agropecuários.
__________________________________________________________________________________________
¹ A fórmula de cálculo do índice (IqPR) é a de Laspeyres modificada, ponderada pelo valor da produção agropecuária paulista. As cotações diárias de preços são levantadas pelo IEA e divulgadas no Boletim Diário de Preço. As variações são obtidas comparando-se os preços médios das quatro últimas semanas (referência) com os preços médios das quatro primeiras semanas (base), sendo a referência 24/08/2008 a 23/09/2008 e base =24/07/2008 a 23/08/2008.

Data de Publicação: 29/09/2008

Autor(es): Eder Pinatti (pinatti@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Raquel Castelluci Caruso Sachs (raquelsachs@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
José Alberto Angelo (alberto@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
José Sidnei Gonçalves (sydy@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Luis Henrique Perez (lhperez@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor