Previsões e Estimativas do Efetivo e da Produção Animal do Estado de São Paulo, Novembro de 2019


 

1 - INTRODUÇÃO

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, por meio do Instituto de Economia Agrícola (IEA) e da Coordenadoria de Desenvolvimento Rural Sustentável (CDRS), realizou entre 1 e 22 de novembro de 2019 o levantamento de previsões de área e produção de culturas, o levantamento final da produção agrícola e o levantamento de dados sobre o rebanho e a produção animal do Estado de São Paulo referentes às estimativas finais de 20192. Na condução do levantamento, foi aplicado o método subjetivo3, que consiste na coleta e na sistematização dos dados fornecidos pelos técnicos das Casas de Agricultura (CAs) em cada um dos 645 municípios do Estado de São Paulo.

A produção animal é acompanhada, dentro da previsão e estimativa de safra, em dois levantamentos, um prévio em junho e o definitivo em novembro em que os números do ano de 2019 são finalizados. Os técnicos das CAs4, a partir do conhecimento obtido por sua interação com o meio produtivo de seu município, transformam esse conhecimento em dados sobre a população animal e a respectiva produção. 

Após depuração dos dados da previsão, temos um quadro que reflete o comportamento da produção e o número de animais que compõem o efetivo paulista. Essas informações sobre área de pastagens, número de bovinos, bovinos de corte e leite, suínos, frangos de corte e produção de ovos, que são as explorações de maior participação na pecuária paulista, são disponibilizadas à sociedade. 

 

2 - ACOMPANHAMENTO DA PECUÁRIA 2019

2.1 – Pastagem

No levantamento de novembro de 2019, foram realizadas as previsões de área de pastagem para 2019 (Tabela 1). Por ser a base para a produção de ruminantes, é importante acompanhar a evolução da área com pastagem no estado, que apresentou ligeiro decréscimo sobre 2018 (1,85%), atingindo 6,44 milhões de hectares. Com a demanda constante por área em outras culturas, os números seguem tendência de redução nos últimos anos, e esse decréscimo em 2019 deve-se principalmente à área de pasto cultivado que representa 84,60% da área total de pastagem e apresentou uma redução de 1,53%.

 

 

2.2 - Rebanho Bovino

         O total de bovinos no Estado de São Paulo foi de 10,25 milhões de cabeças em 2019, resultado 1,26% menor em relação a 2018 (Tabela 2). Conforme a classificação por aptidão do rebanho, verificamos que o número de bovinos de corte apresentou um ligeiro decréscimo de 0,88%; também a categoria gado misto, com registro de 2,76 milhões de cabeças em novembro de 2019, redução em 3,00% em relação a 2018. O número de bovinos para leite, com o total de 1,12 milhão de cabeças, apresentou um pequeno aumento de 0,94%, revertendo os números negativos dos últimos anos.

 

2.3 – Bovino para Abate

Do rebanho bovino estadual voltado à produção de carne, estima-se que 3,19 milhões de cabeças estariam aptas para serem enviadas para abate, o que resultaria em uma oferta de 931 mil toneladas de carne bovina para o Estado de São Paulo em 2019 (Tabela 3).

 

 

As estimativas de abate para 2019, quando comparadas ao ano anterior, apontam redução de 1,53% no total de animais disponíveis. As estimativas indicam uma discreta diminuição nos rebanhos de corte e misto, base para o cálculo dos animais em condições de abate. Esses indicadores refletem as expectativas dos produtores em relação à movimentação dos rebanhos estaduais para o ano de 2019, considerando a exportação e um dos maiores parques de abate no país.

 

2.4 – Produção de Leite

Os resultados do segundo levantamento para a produção leiteira estimada para 2019 são de aproximadamente 1,77 bilhão de litros (Tabela 4), com acréscimo de 4,59% em relação a 2018. O aumento na produção de leite no Estado de São Paulo pelo segundo ano consecutivo pode estar vinculado às melhores cotações de mercado. Essa produção ainda é inferior às necessidades totais de consumo do estado; porém, a produção de leite no Estado de São Paulo é significativa nos EDRs em que a atividade é importante na economia regional e estadual.

Com a concorrência do produto de outros estados, São Paulo perde sua participação na produção brasileira, em decorrência de fatores relacionados ao custo de produção na atividade.

 

 

2.5 – Avicultura/Ovos

A produção de ovos no Estado de São Paulo é tradicionalmente uma atividade realizada principalmente na região de Bastos, que detém a maior concentração de aves de postura do país. Para a avicultura de postura, o segundo levantamento da produção de 2019, comparado com o ano anterior, indica crescimento de 15,64%, totalizando aproximadamente 1,41 bilhão de dúzias (Tabela 5). O plantel paulista de aves para postura, previsto para 2019, ficou em 60,57 milhões de cabeças. Apesar desse percentual positivo, cabe lembrar que o setor apresenta nos últimos anos crescimento moderado do número de aves alojadas e da produção de ovos e que muitos avicultores do estado têm aberto novas frentes de produção em outros estados. O Estado de São Paulo é o maior produtor nacional com 29,4% da produção nacional, conforme o IBGE5.  

 

 

 

 

 

2.6 – Avicultura/Frango de Corte

As estatísticas de previsão de produção de aves para corte para 2019 apontam para um alojamento de 131,58 milhões de aves e um abate de 658,33 milhões de cabeças estimado para o ano, equivalendo a uma oferta de 1,56 milhão de toneladas de frango em peso vivo. O volume de carne de frango esperado é superior em 16,62% ao produzido em 2018, lembrando que a produção do Estado de São Paulo naquele ano foi comprometida devido às condições adversas vividas pela avicultura estadual e nacional. A produção de São Paulo, com a previsão de novembro de 2019, apesar de mostrar um considerável aumento percentual frente aos dados do ano anterior, quando comparada em relação ao ano de 2017 apresenta um discreto crescimento 3,68%. 

 

 

2.7 - Suínos

O efetivo de suínos no estado previsto para 2019 é estimado em 1,06 milhão de cabeças, o que significa um acréscimo de 18,12% em relação a 2018. As previsões dos abates totalizaram 1,64 milhão de cabeças, resultando numa produção de 141,26 mil toneladas de carne, que significam um crescimento da ordem de 35,97% em relação ao ano anterior (Tabela 7). Os dados finais sobre a suinocultura paulista trazem um incremento na produção que parece estar associado aos reflexos causados pelo surto da peste suína africana (PSA) na China. As movimentações no mercado internacional parecem ter se desdobrado até o Estado de São Paulo, levando ao crescimento na produção de carne suína. A diminuição da capacidade ociosa de algumas granjas produtoras pode ter contribuído para esses números.

 

 

3 – RESULTADOS FINAIS, PRODUÇÃO ANIMAL 2019

O levantamento por município de novembro de 2019 da produção animal do Estado de São Paulo finaliza as estimativas da produção animal e do seu efetivo neste ano para as criações de bovinos, aves e suínos, além da área de pastagem. Os resultados encontram--se nas tabelas 1 a 7, acrescidso da variação percentual entre os anos anteriores.

As condições do mercado internacional devem continuar a atuar fortemente sobre a produção nacional e estadual, pois fatores presentes no cenário mundial tais como peste suína africana na China, acordo entre EUA e China, surto da covid-19 e a expectativa de um período recessivo na economia mundial podem repercutir negativamente nos mercados e nos preços nos âmbitos internacional e nacional. A expectativa de um período recessivo na economia mundial pode significar a redução na demanda e consequentemente no consumo mundial induzindo baixas cotações. Essas perspectivas possivelmente devem influenciar na decisão dos produtores nacionais e estaduais.

 

1Os autores agradecem os técnicos do DEXTRU, das Casas de Agricultura, e os diretores dos EDRs, da Coordenadoria de Desenvolvimento Rural Sustentável (CDRS), pelo desempenho no levantamento.

 

2O levantamento da Previsão e Estimativa de Safra é realizado pelo Instituto de Economia Agrícola (IEA) e Coordenadoria do Desenvolvimento Rural Sustentável (CDRS), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo (SAA), nos meses de fevereiro, abril, junho, setembro e novembro, sendo que as de junho (estimativa) e novembro (definitiva) incluem em suas pesquisas questões sobre a produção animal do estado. As informações levantadas são relacionadas com área de pastagem, número de cabeças e produção por município, agrupadas por EDR e total do Estado de São Paulo. As informações estão disponibilizadas no INSTITUTO DE ECONOMIA AGRÍCOLA - IEA. Banco de dados. São Paulo: IEA, nov. 2019. Disponível em: http://www.iea.agricultura.sp.gov.br/out/Bancodedados.php. Acesso em: 20 abr. 2020.

3Entende-se por método subjetivo a coleta e sistematização de dados fornecidos pelos técnicos da Casa de Agricultura, em função de seu conhecimento regional e/ou da coleta de dados de forma declaratória, fornecida pelo responsável pela unidade de produção.

 

4Op. cit. nota 1.

 

5INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. Banco de dados. Rio de Janeiro: IBGE, 2020. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/>. Acesso em: 20 abr. 2020. 

 

Palavras-chave: previsão do efetivo e produção animal, área de pastagens e produção animal, estatísticas agropecuárias, estimativas, produção e efetivo animal 2019 paulista.


Data de Publicação: 29/04/2020

Autor(es): Carlos Roberto Ferreira Bueno (crfbueno@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Carlos Nabil Ghobril (nabil@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor