Preços Agropecuários Fecham Estáveis em Maio de 2020


 

O Índice de Preços Recebidos pela Agropecuária Paulista (IqPR)1, 2 fechou o mês de maio de 2020 com pequena alta de 0,17%. Separado por grupos de produtos, enquanto o IqPR-V (grupo de produtos de origem vegetal) variou com estabilidade de -0,04%, o 
IqPR-A (produtos de origem animal) teve alta de 0,73% (Tabela 1).

      

Quando a cana-de-açúcar (que tem pesos em torno de 30% no IqPR e 50% no IqPR-V) é excluída do cálculo do índice na ponderação dos produtos, o IqPR (sem cana) inverte sua orientação e cai -1,62%. Essa inversão em relação ao índice geral acontece pelo fato do IqPR-V sem a cana ter queda de 3,80% (o que demonstra uma baixa significativa para os outros principais produtos de origem vegetal cultivados no território paulista). Destaca-se nessa comparação o peso que a atividade canavieira exerce no cálculo ponderado do índice vegetal (Tabela 1).

No que se referem às altas em maio/2020 (terceiro mês sob o impacto do covid-19), destacam-se os seguintes produtos: arroz (16,05%), feijão (11,23%), soja (10,31%) e carne de frango (9,99%) (Tabela 2). Já entre os produtos que reduziram seus preços, tiveram maiores quedas banana nanica (-30,67%), tomate para mesa (-18,38%) e laranja para mesa (-12,48%). Do conjunto analisado, 6 produtos apresentaram alta de preços (4 de origem vegetal e 2 de animal) e 10 tiveram queda (7 de origem vegetal e 3 de origem animal).

 

 

ARROZ

A reversão na tendência de baixa nos preços de arroz vem se mostrando desde março, mas a elevação dos preços do dólar acirrou a tendência por evitar ou criar barreiras para a entrada do arroz do Mercosul, resultando na valorização do arroz nacional. Também contribuiu para a tendência de alta nos preços a ligeira diminuição da safra brasileira e a situação de estoque baixo do grão no Brasil. Entretanto, a elevação dos preços nos últimos meses garantiu apenas a recuperação dos preços que vinham em baixa desde 2014, sempre com oscilações abaixo das taxas inflacionárias. Outro ponto a destacar é que poucos produtores estão se beneficiando da tendência de alta nos preços, uma vez que em torno de 70% da safra já havia sido comercializada até o primeiro trimestre do ano corrente.

 

FEIJÃO CARIOCA

Enquanto um dos principais ingredientes da dieta alimentar brasileira, as altas sucessivas do feijão carioca colocam em alerta a capacidade de abastecimento do mercado neste período de pandemia do covid-19. A realidade na qual a menor área plantada na primeira e segunda safra do Centro-Sul do país adicionada às perdas causadas pela seca que atingiu lavouras de toda a região (principalmente do Paraná e São Paulo) que ofertaram uma quantidade menor relacionada aos anos anteriores indicam uma tendência preocupante de elevação dos preços entre maio e junho. Os preços recebidos pelos produtores atingiram um patamar que supera em 124,06% os valores do mesmo período de 2019 (Tabela 2).

 

SOJA

Os preços internacionais da soja estão aumentando, reflexo do embate comercial e diplomático entre os EUA e a China. Essas indefinições tornam potencialmente o Brasil possível beneficiado, como opção de substituição e ou opção de compra de soja. Com a pandemia, o mercado está muito valorizado e sensível com relação aos estoques e ao abastecimento dos produtos agrícolas. No mês de maio especificamente, as influências da valorização do dólar na primeira quinzena do mês representaram o maior peso nos reajustes dos preços recebidos pelos produtores.

 

ACUMULADO DOS ÚLTIMOS 12 MESES PARA O IQPR

No acumulado de maio/2019 a maio/2020, todos os índices apresentaram reajustes positivos (Figura 1). Nesse intervalo, o IqPR variou positivamente em 9 meses (Figura 2).

Nesse intervalo de um ano, o IqPR (geral) subiu 18,98%, o IqPR-V (vegetal) 20,41% e o IqPR-A (animal) 15,30% (Figura 2).

 

 

 

 

 

1A fórmula de cálculo do índice (IqPR) é a de Laspeyres modificada, ponderada pelo valor da produção agropecuária paulista. As cotações diárias de preços são levantadas pelo IEA e divulgadas no Boletim Diário de Preço. As variações são obtidas comparando-se os preços médios das quatro últimas semanas (referência) com os preços médios das quatro primeiras semanas (base), sendo a referência = 01/05/2020 a 31/05/2020 e base = 01/04/2020 a 30/04/2020.

 

2Artigo completo com a metodologia: PINATTI, E. et al. Índice quadrissemanal de preços recebidos pela agropecuária Paulista (IqPR) e seu comportamento em 2007. Informações Econômicas, São Paulo, v. 38, n. 9, p. 22-34, set. 2008. Disponível em: http://www.iea.sp.gov.br/out/verTexto.php?codTexto=9573. Acesso em: jun. 2020.

 

 

Palavras-chave: IqPR, índice, preços recebidos, índices agrícolas, variações, indicadores.


Data de Publicação: 17/06/2020

Autor(es): Danton Leonel de Camargo Bini (danton@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Eder Pinatti (pinatti@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Maximiliano Miura (miuramax@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Jovino Paulo Ferreira Neto Consulte outros textos deste autor