Índice de Preços Recebidos pela Agropecuária Paulista Volta a Subir em Maio de 2022: acumulado de 12 meses atinge 27,71%



O índice de preços recebidos pela agropecuária paulista (IqPR)1, 2 fechou maio de 2022 com alta de 0,46% (Tabela 1). Separados por grupos de produtos, os itens de origem vegetal (IqPR-V) subiram 1,40%, enquanto o agrupamento de produtos de origem animal (IqPR-A) apresentou quedas progressivas em todas as semanas do mês, fechando maio com -1,96% (Tabela 1).


 

Com uma ascensão significativa da cana-de-açúcar (principal produto na formação do índice) de 3,63% (Tabela 2), os índices gerais IqPR e IqPR-V sem cana mantiveram a tendência de quedas advindas desde o final de abril de 2022, com variações respectivas de -1,89% e -1,82% (Tabela 1).


Destacaram-se, com as maiores altas no mês de maio de 2022: amendoim (6,19%), leite cru refrigerado (4,57%) e soja (4,18%). Já as quedas mais significativas ocorreram com tomate para mesa (35,56%), banana nanica (6,45%) e arroz (3,75%). 

No caso do amendoim, a volta das festas juninas presenciais por todo o país reaqueceu a demanda do principal produto originário dos tradicionais doces presentes nos cardápios da maioria das regiões brasileiras.

Sobre o leite, a menor oferta com o início da entressafra e o reajuste dos custos com a suplementação elevaram os preços recebidos pelos produtores em relação de comparação aos laticínios.

 

ÍNDICES ACUMULADOS NOS ÚLTIMOS 12 MESES

No acumulado de maio de 2021 a maio de 2022, todos os índices apresentaram reajustes positivos (Figura 1). Nesse intervalo de 12 meses, dez produtos do levantamento tiveram reajustes e cinco apresentaram quedas. No período, o IqPR variou positivamente em todos os meses analisados (Figura 2), num acúmulo de reajuste de 27,71% (Figura 1). No que se refere ao indicador de produtos de origem vegetal (IqPR-V), as altas acumuladas de tomate para mesa (81,37%), banana-nanica (64,77%), café (55,00%) e cana-de-açúcar (41,00%) sedimentaram seu reajuste em 35,90% para o período em análise (Figura 2).


Nesse intervalo de 12 meses, a alta do IqPR-A foi de 7,87% (Tabela 1). Destaca-se que essa diferença em relação aos outros indicadores se justifica principalmente pelas quedas dos preços das carnes suína (-5,76%) e bovina (-0,08%) no intervalo de maio de 2021 a maio de 2022 (Tabela 2).

 

 

1A fórmula de cálculo do índice (IqPR) é a de Laspeyres modificada, ponderada pelo valor da produção agropecuária paulista. As cotações diárias de preços são levantadas pelo IEA e divulgadas no Boletim Diário de Preço. As variações são obtidas comparando-se os preços médios das quatro últimas semanas (referência) com os preços médios das quatro primeiras semanas (base), sendo a referência = 01/05/2022 a 31/05/2022 e base = 01/04/2022 a 30/04/2022.

 

2Artigo completo com a metodologia: PINATTI, E. et al. Índice quadrissemanal de preços recebidos pela agropecuária Paulista (IqPR) e seu comportamento em 2007. Informações Econômicas, São Paulo, v. 38, n. 9, p. 22-34, set. 2008. Disponível em: http://www.iea.sp.gov.br/out/verTexto.php?codTexto=9573. Acesso em: jun. 2022.

 

 

 

 

Palavras-chave: IqPR, índice, preços recebidos, índices agrícolas, variações, indicadores.



PINATTI, E.; LOPES JÚNIOR, A.; COELHO, P. J.; BINI, D. L. de C.; Índice de Preços Recebidos pela Agropecuária Paulista Volta a Subir em Maio de 2022: acumulado de 12 meses atinge 27,71%. Análises e Indicadores do Agronegócio, São Paulo, v. 17, n. 4, p. 1-4, abr. 2022. Disponível em: colocar o link do artigo. Acesso em: dd mmm. aaaa.

Data de Publicação: 24/06/2022

Autor(es): Eder Pinatti (pinatti@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Antônio Lopes Júnior (antonio.lopes@sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Paulo José Coelho (pjcoelho@sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Danton Leonel de Camargo Bini (danton.camargo@sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor

 

 

 


Governo do Estado de SP