Estimativa do Valor da Produção Agropecuária do Estado de São Paulo para 2020


O cálculo final do valor da produção agropecuária do Estado de São Paulo (VPA) em 2020, com os dados de preços e produção consolidados, resultou em R$96,47 bilhões. Comparativamente aos R$82,21 bilhões alcançados em 2019, esse resultado acusou aumento, em termos correntes, de 17,34 % (Tabela 1), e de 12,04 % em valores reais, considerando o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)1.

Esse resultado foi obtido a partir da seleção de 50 produtos de origem vegetal e animal. Para fins de análise, os produtos foram agrupados em produtos para indústria, produtos de origem animal, grãos e fibras, frutas frescas e produtos olerícolas. Os dados de produção foram obtidos dos levantamentos sistemáticos de previsão e estimativas de safras realizados pelo Instituto de Economia Agrícola (IEA) e pela Coordenadoria de Desenvolvimento Rural Sustentável (CDRS), ambos da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo2. Foram utilizados os preços médios mensais recebidos pelos produtores, extraídos do banco de dados do IEA3, especificamente para os grupos de produtos olerícolas e de frutas; os preços foram obtidos a partir da ponderação e decomposição dos preços de atacado obtidos na Companhia de Entreposto e Armazéns Gerais de São Paulo (CEAGESP)4, exceto os de batata, cebola, mandioca para mesa, tomate, banana, laranja, goiaba e tangerina, recolhidos do banco de dados do IEA.

A variação do VPA foi calculada a partir dos índices de preços e quantidades, baseados na fórmula de Fisher (base 2019 = 100), de acordo com os agrupamentos de produtos homogêneos5. Ambos os indicadores mostraram evolução positiva, predominantemente o de preços, cuja variação atingiu 16,07%, enquanto o de produção foi de 1,09%. Excluindo--se a cana-de-açúcar, cuja participação no VPA do Estado é elevada (33,13%), o índice de preços atinge 21,07%, enquanto o de produção se elevou em 1,40%.

 

 

Tabela 1 - Preço médio, produção e valor total da produção agropecuária, Estado de São Paulo, 2019 e 2020

(continua)

Produto

Unidade

Posição

 

Preço médio (R$)1

 

Produção

2019

2020

 

2019

2020

Var.%

 

2019

2020

Var.%

Cana-de-açúcar

t

1

1

 

68,15

73,05

7,19

 

435.342.415

437.546.402

0,51

Carne bovina

15 kg

2

2

 

158,82

222,92

40,36

 

62.071.273

61.263.654

-1,30

Soja

sc. 60 kg

5

3

 

72,62

110,93

52,75

 

54.073.293

63.941.767,00

18,25

Laranja para indústria

cx. 40,8 kg

3

4

 

19,16

22,11

15,40

 

268.021.754

258.947.253

-3,39

Carne de frango

kg

4

5

 

3,21

3,33

3,74

 

1.563.122.663

1.492.451.499

-4,52

Ovos

cx. 30 dz.

6

6

 

76,51

91,69

19,84

 

47.182.477

47.066.398

-0,25

Milho

sc. 60 kg

7

7

 

34,63

52,47

51,52

 

84.214.605

72.004.800

-14,50

Café beneficiado

sc. 60 kg

9

8

 

407,37

533,11

30,87

 

4.414.367

6.362.485

44,13

Leite

l

8

9

 

1,41

1,55

9,93

 

1.850.412.590

1.773.894.740

-4,14

Amendoim em casca

sc. 25 kg

17

10

 

53,89

78,60

45,85

 

18.765.115

24.991.653

33,18

Laranja para mesa

cx. 40,8 kg

12

11

 

24,67

30,87

25,13

 

60.839.294

58.779.438

-3,39

Banana

cx. 21 kg

11

12

 

29,42

29,44

0,07

 

51.414.221

51.960.680

1,06

Tomate para mesa

25 kg

13

13

 

48,94

46,79

-4,39

 

27.055.211

30.879.604

14,14

Limão

cx. 27 kg

14

14

 

30,28

32,97

8,88

 

37.382.861

42.169.351

12,80

Batata

sc. 50 kg

10

15

 

96,15

80,71

-16,06

 

17.803.941

16.408.393

-7,84

Uva para mesa

kg

15

16

 

4,46

4,59

2,91

 

244.376.222

244.921.121

0,22

Feijão

sc. 60 kg

16

17

 

214,34

254,81

18,88

 

5.059.478

4.040.463

-20,14

Carne suína

15 kg

18

18

 

90,10

119,60

32,74

 

9.417.080

7.140.395

-24,18

Borracha

kg

20

19

 

2,40

2,58

7,50

 

243.519.197

247.684.217

1,71

Tangerina

cx. 26 kg

19

20

 

37,58

37,33

-0,67

 

17.609.446

16.992.117

-3,51

Manga

kg

22

21

 

2,42

2,16

-10,74

 

210.278.112

220.519.750

4,87

Mandioca para indústria

t

24

22

 

291,56

348,39

19,49

 

1.234.029

1.363.706

10,51

Cebola

kg

21

23

 

2,55

1,98

-22,35

 

228.147.000

239.097.200

4,80

Abacate

cx.K 22 kg

26

24

 

48,89

49,49

1,23

 

7.201.845

7.828.037

8,69

Trigo

sc.60 kg

27

25

 

51,46

66,66

29,54

 

4.389.480

5.181.101

18,03

Alface

engr.10 kg

25

26

 

14,95

10,51

-29,70

 

23.820.965

25.356.318

6,45

Caqui

kg

23

27

 

2,86

1,95

-31,82

 

128.260.236

124.895.602

-2,62

Pimentão

cx.11 kg

28

28

 

20,14

19,61

-2,63

 

10.166.962

10.503.120

3,31

Mandioca para mesa

23 kg

36

29

 

11,00

17,87

62,45

 

12.242.217

10.773.076

-12,00

Batata doce

cx. K 22 kg

32

30

 

24,61

24,76

0,61

 

6.725.425

6.787.283

0,92

Sorgo

sc. 60 kg

44

31

 

26,06

40,28

54,57

 

2.591.734

3.857.383

48,83

Pêssego para mesa

cxta. 1,8 kg

38

32

 

5,93

7,60

28,16

 

19.798.167

20.214.402

2,10

Abacaxi

cento

30

33

 

340,30

267,25

-21,47

 

531.086

566.987

6,76

Repolho

sc. 25 kg

31

34

 

20,23

15,48

-23,48

 

8.625.533

8.530.201

-1,11

Cenoura

kg

33

35

 

1,84

1,53

-16,85

 

76.957.450

83.360.675

8,32

Goiaba para mesa

cxta. 3 kg

35

36

 

9,06

8,61

-4,97

 

15.187.901

14.142.536

-6,88

Abóbora

kg

43

37

 

1,19

1,39

16,81

 

68.714.450

79.275.300

15,37

Melancia

kg

29

38

 

0,88

0,67

-23,86

 

214.078.200

157.679.000

-26,35

Algodão em caroço

15 kg

41

39

 

34,94

40,25

15,20

 

3.018.012

2.615.440

-13,34

Figo para mesa

engr. 3 gavetas 1,5 kg

34

40

 

21,78

16,44

-24,52

 

6.383.902

6.230.926

-2,40

Morango

cxta. 1,6 kg

39

41

 

17,92

18,23

1,73

 

6.042.100

5.557.375

-8,02

Abobrinha

cx. 20 kg

40

42

 

29,78

26,03

-12,59

 

3.545.037

3.844.520

8,45

Arroz em casca

sc. 60 kg

45

43

 

53,98

93,9

73,95

 

1.005.564

1.036.844

3,11

Beterraba

cx. 21 kg

37

44

 

26,61

19,77

-25,70

 

4.835.191

3.920.603

-18,92

Maracujá

cx. 13 kg

42

45

 

41,57

40,18

-3,34

 

2.349.885

1.631.221

-30,58

Tomate para indústria

kg

46

46

 

0,22

0,19

-13,64

 

207.764.500

272.682.000

31,25

Mel

kg

47

47

 

8,42

8,65

2,73

 

4.534.661

4.515.349

-0,43

Goiaba para indústria

t

48

48

 

410,00

460,00

12,20

 

83.275

72.585

-12,84

Triticale

sc. 60 kg

49

49

 

32,76

57,20

74,60

 

106.075

103.631

-2,30

Casulo

kg

50

50

 

19,35

19,18

-0,88

 

126.702

159.842

26,16

Total

-

-

-

 

-

-

-

-

-

-

-

Grupo de produtos

 

 

Índice de preços

Var.%

 

          Índice de produção

Var.%

Produtos para indústria

 

 

 

 

100,00

109,75

9,75

 

100,00

102,39

2,39

Produtos animais

 

 

 

 

100,00

124,72

24,72

 

100,00

96,97

-3,03

Grãos e fibras

 

 

 

 

100,00

147,29

47,29

 

100,00

105,32

5,32

Frutas frescas

 

 

 

 

100,00

103,11

3,11

 

100,00

100,67

0,67

Olerícolas

 

 

 

 

100,00

88,59

-11,41

 

100,00

102,10

2,10

Total

 

 

 

 

100,00

116,07

16,07

 

100,00

101,09

1,09

Total sem cana-de-açúcar

 

 

 

 

100,00

121,07

21,07

 

100,00

101,40

1,40

1Preço médio corrente, de janeiro a dezembro para 2019 e 2020.                    

Fonte: Dados da pesquisa.

Tabela 1 - Preço médio, produção e valor total da produção agropecuária, Estado de São Paulo, 2019 e 2020

(conclusão)

Produto

Valor da produção (R$)2

 

Participação % do valor da produção

2019

2020

Var.%

 

2019

% acum.

2020

% acum.

Cana-de-açúcar

29.668.585.550,91

31.962.764.693,13

7,73

 

36,09

36,09

33,13

33,13

Carne bovina

9.858.159.577,86

13.656.893.749,68

38,53

 

11,99

48,08

14,16

47,29

Soja

3.926.802.544,92

7.093.060.246,59

80,63

 

4,78

52,86

7,35

54,64

Laranja para indústria

5.135.296.797,09

5.725.323.760,23

11,49

 

6,25

59,10

5,94

60,58

Carne de frango

5.017.623.748,87

4.969.863.490,01

-0,95

 

6,10

65,21

5,15

65,73

Ovos

3.609.931.337,47

4.315.517.994,11

19,55

 

4,39

69,60

4,47

70,20

Milho

2.916.351.772,89

3.778.091.871,74

29,55

 

3,55

73,14

3,92

74,12

Café beneficiado

1.798.280.599,26

3.391.904.612,96

88,62

 

2,19

75,33

3,52

77,64

Leite

2.609.081.751,90

2.749.536.847,00

5,38

 

3,17

78,51

2,85

80,49

Amendoim em casca

1.011.252.068,91

1.964.343.925,80

94,25

 

1,23

79,74

2,04

82,52

Laranja para mesa

1.500.905.378,96

1.814.521.245,62

20,90

 

1,83

81,56

1,88

84,40

Banana

1.512.606.392,46

1.529.722.414,23

1,13

 

1,84

83,40

1,59

85,99

Tomate para mesa

1.324.082.019,00

1.444.856.647,77

9,12

 

1,61

85,01

1,50

87,49

Limão

1.131.953.043,19

1.390.323.509,07

22,83

 

1,38

86,39

1,44

88,93

Batata

1.711.848.927,15

1.324.321.399,03

-22,64

 

2,08

88,47

1,37

90,30

Uva para mesa

1.089.917.949,23

1.124.187.945,39

3,14

 

1,33

89,80

1,17

91,47

Feijão

1.084.448.591,68

1.029.550.448,40

-5,06

 

1,32

91,12

1,07

92,53

Carne suína

848.478.908,00

853.991.283,85

0,65

 

1,03

92,15

0,89

93,42

Borracha

584.446.071,60

639.025.279,86

9,34

 

0,71

92,86

0,66

94,08

Tangerina

661.762.983,36

634.315.739,18

-4,15

 

0,80

93,66

0,66

94,74

Manga

508.873.031,04

476.322.660,00

-6,40

 

0,62

94,28

0,49

95,23

Mandioca para indústria

359.793.495,24

475.101.393,98

32,05

 

0,44

94,72

0,49

95,73

Cebola

581.774.850,00

473.412.456,00

-18,63

 

0,71

95,43

0,49

96,22

Abacate

352.098.202,05

387.409.551,13

10,03

 

0,43

95,86

0,40

96,62

Trigo

225.882.630,51

345.372.192,66

52,90

 

0,27

96,13

0,36

96,98

Alface

356.123.432,73

266.494.902,21

-25,17

 

0,43

96,56

0,28

97,25

Caqui

366.824.274,96

243.546.423,90

-33,61

 

0,45

97,01

0,25

97,50

Pimentão

204.762.617,67

205.966.182,75

0,59

 

0,25

97,26

0,21

97,72

Mandioca para mesa

134.664.390,08

192.514.868,92

42,96

 

0,16

97,42

0,20

97,92

Batata doce

165.512.706,43

168.053.124,12

1,53

 

0,20

97,63

0,17

98,09

Sorgo

67.540.588,04

155.375.391,67

130,05

 

0,08

97,71

0,16

98,25

Pêssego para mesa

117.403.132,96

153.629.452,92

30,86

 

0,14

97,85

0,16

98,41

Abacaxi

180.728.684,91

151.527.363,94

-16,16

 

0,22

98,07

0,16

98,57

Repolho

174.494.528,53

132.047.514,59

-24,33

 

0,21

98,28

0,14

98,71

Cenoura

141.601.708,00

127.541.832,75

-9,93

 

0,17

98,45

0,13

98,84

Goiaba para mesa

137.602.383,06

121.767.234,96

-11,51

 

0,17

98,62

0,13

98,96

Abóbora

81.770.195,50

110.192.667,00

34,76

 

0,10

98,72

0,11

99,08

Melancia

188.388.816,00

105.644.930,00

-43,92

 

0,23

98,95

0,11

99,19

Algodão em caroço

105.449.339,28

105.271.460,00

-0,17

 

0,13

99,08

0,11

99,30

Figo para mesa

139.041.379,69

102.436.421,46

-26,33

 

0,17

99,25

0,11

99,40

Morango

108.274.432,00

101.310.946,25

-6,43

 

0,13

99,38

0,11

99,51

Abobrinha

105.571.210,79

100.072.855,60

-5,21

 

0,13

99,51

0,10

99,61

Arroz em casca

54.280.344,72

97.359.651,60

79,36

 

0,07

99,57

0,10

99,71

Beterraba

128.664.443,56

77.510.321,88

-39,76

 

0,16

99,73

0,08

99,79

Maracujá

97.684.725,87

65.542.457,79

-32,90

 

0,12

99,85

0,07

99,86

Tomate para indústria

45.708.190,00

51.809.580,00

13,35

 

0,06

99,90

0,05

99,92

Mel

38.181.845,62

39.057.768,85

2,29

 

0,05

99,95

0,04

99,96

Goiaba para indústria

34.142.946,80

33.389.238,00

-2,21

 

0,04

99,99

0,03

99,99

Triticale

3.475.017,00

5.927.693,20

70,58

 

0,00

100,00

0,01

100,00

Casulo

2.451.683,70

3.065.769,56

25,05

 

0,00

100,00

0,00

100,00

Total

82.210.581.241,45

  96.466.791.411,34

17,34

 

-

-

-

-

Grupo de produtos

 

 

 

 

 

 

 

 

Produtos para indústria

37.626.253.650,90

42.279.318.558,16

12,37

 

45,77

45,77

43,83

43,83

Produtos animais

21.983.908.853,42

26.587.926.903,06

20,94

 

26,74

72,51

27,56

71,39

Grãos e fibras

9.395.482.897,95

14.574.352.881,66

55,12

 

11,43

83,94

15,11

86,50

Frutas frescas

8.094.064.809,74

8.402.208.295,84

3,81

 

9,85

93,78

8,71

95,21

Olerícolas

5.110.871.029,44

4.622.984.772,62

-9,55

 

6,22

100,00

4,79

100,00

Total

82.210.581.241,45

96.466.791.411,34

17,34

 

100,00

-

100,00

-

Total sem cana-de-açúcar

52.541.995.690,54

64.504.026.718,21

22,77

 

63,91

-

66,87

-

2Preço médio corrente, de janeiro a dezembro para 2019 e 2020.                    

Fonte: Dados da pesquisa.

Verifica-se que a variação dos índices de preços foi potencializada principalmente pelos preços de produtos dos grupos de grãos e fibras e de produtos animais, cujos índices acusaram crescimento de 47,29% e 24,72%, respectivamente, destacando-se aqueles que se encontram entre as dez primeiras posições no ranking de VPA do estado e que destinam parte considerável da produção ao mercado internacional, produtos estes bastante favorecidos pelas altas taxas de câmbio dos últimos anos, superiores a R$4,00/US$ a partir de meados de 2019 e acima dos R$5,00/US$ durante praticamente todo ano de 2020.

Produtos pertencentes ao grupo de grãos e fibras apresentaram aumentos expressivos em seu VPA, com destaque para o amendoim em casca, com uma variação de 94,25%, que saiu da 17ª posição em 2019 para a 10ª em 2020, impulsionado tanto pelo aumento de produção (33,18%) quanto pelo de preço (45,85%). O VPA da soja, com um aumento de 80,63%, saltou da quinta para terceira posição no total do estado, precedido apenas pelo da cana-de-açúcar e o da carne bovina. O VPA do milho, apesar da quebra de produção em função de adversidades climáticas, teve seu VPA majorado em 29,55%, mantendo a sétima posição, graças ao expressivo aumento de preço, de 51,52%. O VPA do trigo registrou uma variação de 52,90%, decorrente tanto da alta dos preços (29,54%) quanto da produção (18,03%). Assim como o mercado de outros produtos, o do trigo também foi fortemente afetado pela pandemia, mas se revelou como boa alternativa de consumo nos períodos de isolamento, mesmo tendo seu suprimento formado por mais de 50% de produto importado, chegando a apresentar picos de aumento de consumo, especialmente de massas. Por outro lado, o feijão, grão componente de prato importante no hábito de consumo do brasileiro, apresentou queda 5,06% em seu VPA, predominantemente em função de menor produção (20,14%), pois os preços apresentaram elevação de 18,88%, além de que é um produto cuja questão de seu consumo fora de casa versus domiciliar é muito importante em seu mercado, sendo também, portanto, fortemente afetado pelas políticas de isolamento, ante a pandemia.

O VPA da carne bovina acusou elevação de 38,53%, refletindo a elevação de 40,36% em seu preço, compensando largamente a queda de produção (1,30%). O VPA da carne suína apresentou crescimento de 0,65%, influenciado pela queda de produção (24,18%), e compensada pela elevação de 32,74% em seus preços. O VPA da carne de frango foi menor em 0,95%, decorrente de queda de produção (4,52%), muito em função dos desarranjos do mercado, em face das políticas de isolamento, principalmente no primeiro semestre do ano. O aumento de preço, de 3,74%, não foi suficiente para compensar a menor produção. O aumento do VPA dos ovos foi decorrente da elevação de 19,84% em seu preço, impactado pela elevação dos preços dos insumos utilizados no processo produtivo, uma vez que a produção acusou redução de 0,25%. O aumento do consumo de ovos, geralmente, segue a elevação do preço das carnes.

Entre os produtos animais, o aumento de preço do leite (9,93%) compensou a queda de 4,14% na produção, proporcionando o aumento de 5,38% em seu VPA.

No geral, com exceção do grupo de olerícolas, todos os outros apresentaram crescimento do VPA. O grupo de frutas frescas apresentou crescimento de 3,81%, basicamente em função da elevação de 3,11% em seus preços e um acréscimo de 0,67% na produção. Esses dois grupos foram os que mais sentiram as condições adversas do mercado, decorrentes de medidas de combate à pandemia, isolamento, fechamento de equipamentos de consumo fora de casa, bares e restaurantes, entre outros. São produtos consumidos predominantemente frescos e de maior perecibilidade.

A queda de 9,55% no VPA do grupo de olerícolas foi fortemente impactada pela queda dos preços (-11,41%), uma vez que houve um crescimento de 2,10% de produção. Pequenos produtores familiares têm participação expressiva nesse grupo de produtos e foram também afetados pela pandemia.

Entre as olerícolas, as mais bem posicionadas são o tomate para mesa (13ª posição no ranking de VPA), seguido pela batata (15ª) e pela cebola, que perdeu duas posições, caindo para a 23ª posição quando comparada com o ano de 2019. O VPA do tomate para mesa aumentou 9,12%, decorrente da elevação de 14,14% na produção, embora tenha havido recuo de 4,39% em seu preço. Os VPAs da batata e da cebola apresentaram queda de 22,64% e 18,63%, respectivamente: o da batata por reduções de preço e produção, e o da cebola por queda de preço exclusivamente. Entre as poucas olerícolas que acusaram aumento de VPA, destacam-se a mandioca para mesa, com elevação de 42,96%, e a abóbora, com 34,76%; contudo, elas se encontram na 29ª e na 37ª posição no ranking e, portanto, apenas impediram que a queda do grupo fosse maior ainda.

O VPA do grupo de produtos para indústria cresceu 12,37%. Esse grupo constitui-se de alguns dos produtos mais bem posicionados no ranking do VPA do estado, como a cana--de-açúcar, responsável por 33,13% do total estadual, que acusou crescimento de 7,73%. A laranja para indústria, quarta colocada no ranking, teve seu VPA aumentado em 11,49%. O café beneficiado, oitava posição, se destacou com uma elevação de 88,62% em seu VPA, tanto por expressivo aumento de preço (30,87%) quanto de produção (44,13%), em face da bienalidade, característica de sua produção. O VPA da mandioca para indústria, 22ª posição no ranking estadual, acusou aumento de 32,05%, resultado beneficiado tanto pelo preço (19,49%) quanto pela produção (10,51%). Os preços do produto encontravam-se em patamares baixos e em declínio no início da pandemia. Contudo, no segundo semestre, com a elevação dos preços dos produtos concorrentes, por área e por destino, notadamente do milho e da soja, os preços da mandioca também se elevaram em relação ao ano anterior. De modo geral, a perspectiva para 2021 é de que o valor da produção agropecuária paulista continue crescendo, uma vez que os agentes do mercado se mostram mais adaptados às mudanças impostas pelas políticas de combate à pandemia da covid-19.

 

1INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATISTICA – IBGE. Indicadores IBGE – Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor. Brasília: IBGE, 12 jan. 2021. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/236/inpc_ipca_2020_dez.pdf. Acesso em mar. 2021.

 

2INSTITUTO DE ECONOMIA AGRÍCOLA – IEA. Preços médios mensais recebidos pelos agricultores. São Paulo: IEA, 2021. Disponível em: http://ciagri.iea.sp.gov.br/nia1/precos_medios.aspx?cod_sis=2. Acesso em mar. 2021.

 

3Op. cit. nota 2.

 

4SILVA, M. A. B. da. Solicitação de dados Ceagesp 2020. Destinatário: Carlos Bueno. São Paulo, 28 jan. 2021. 1 e-mail.

 

5HOFFMANN, R. Estatísticas para economistas. 2. ed. São Paulo: Pioneira, 1991. 426 p.


Palavras-chave: renda, produção agropecuária, preços, valor da produção.

 

 

COMO CITAR ESTE ARTIGO

SILVA, J. R da. Estimativa do Valor da Produção Agropecuária do Estado de São Paulo para 2020. Análises e Indicadores do Agronegócio, São Paulo, v. 16, n. 4, abr. 2021, p. 1-7. Disponível em: colocar o link do artigo. Acesso em: dd mmm. aaaa.

Data de Publicação: 19/04/2021

Autor(es): José Roberto Da Silva (josersilva@sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Paulo José Coelho (pjcoelho@sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Denise Viani Caser (dcaser@sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Carlos Roberto Ferreira Bueno (cbueno@sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Danton Leonel de Camargo Bini (danton.camargo@sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Eder Pinatti (pinatti@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor