Previsões e Estimativas das Safras Agrícolas do Estado de São Paulo, Intenção de Plantio do Ano Agrícola 2022/23 e Levantamento Final Ano Agrícola 2021/22, Setembro de 2022


1 – INTRODUÇÃO

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do estado de São Paulo, por meio do Instituto de Economia Agrícola (IEA) e da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI), realizou entre 1 e 30 de setembro de 2022 o primeiro levantamento do novo ano-    -safra, 2022/23, que aponta a provável área a ser plantada, em hectares, pelos agricultores paulistas para culturas que iniciam seu plantio neste período (amendoim, arroz, batata das águas, feijão das águas, milho 1ª safra e soja). Há também a finalização dos números de área e produção de banana, café, feijão inverno, milho 2ª safra, trigo e triticale para a safra 2021/2022, e os números que antecedem a estimativa final para a mesma safra das culturas de batata de inverno, cana-de-açúcar, cebola em plantio direto e laranja. Os dados foram obtidos pelo método subjetivo2 através de informações fornecidas pelos técnicos das Casas de Agricultura nos 645 municípios paulistas. Esses dados foram complementados, corrigidos, consolidados e sistematizados durante o mês de outubro de 2022.

 

2 – INTENÇÃO DE PLANTIO SAFRA AGRÍCOLA 2022/23

Para os seis principais grãos (plantio das águas) da safra 2022/23 da agricultura paulista, o levantamento de setembro de 2022, quando comparado ao ano agrícola 2020/21, indica acréscimo de 3,2% na provável área a ser cultivada, totalizando 1.889.734 mil hectares (Tabela 1). Desse total a ser plantado, a cultura do amendoim tem previsão de 174,5 mil hectares, praticamente a mesma área que a safra agrícola anterior; igualmente a cultura do arroz, que ao fechar o levantamento com 6,7 mil hectares, pode ter aumento de somente 0,2% em relação à área plantada na safra agrícola 2021/22; no caso da área com feijão das águas, indica-se incremento de 13,3%, podendo chegar a 51,1 mil hectares; para o milho (1ª safra) a provável área cultivada poderá atingir a marca de 360,4 mil hectares (aumento de 8,1% em relação à safra passada); e a cultura da soja tem a previsão de ocupar 1.288,6 mil hectares, num acréscimo de 2,0% sobre a safra anterior. É esperado um aumento na área plantada de batata das águas de 8,1%, totalizando 8,4 mil hectares.

 

 

2.1 – Amendoim

 

 


O levantamento realizado em setembro informa os números da intenção de plantio para a cultura do amendoim. Para a safra agrícola 2022/23, é aguardada área plantada estável em relação à área do ciclo anterior, totalizando 174.516,20 hectares. Os resultados do levantamento de novembro devem trazer dados mais consistentes, pois ainda há indefinição para o plantio da oleaginosa, que no estado vem ocorrendo nos meses de outubro e novembro, e não mais entre agosto e setembro. As Regionais da CATI com maiores áreas indicadas neste levantamento foram Tupã, Jaboticabal, Marília, Presidente Prudente e Lins. Essas 5 regionais em conjunto representam 50,5% da área total do estado de São Paulo.

 

 

 

2.2 – Arroz

 

 

 

 


Em São Paulo, a intenção de plantio para a cultura do arroz na safra 2022/23 está prevista em 6.689 hectares, variação positiva de 0,2% em relação à área da safra anterior, indicando cenário de estabilidade. A área plantada vem se reduzindo no estado de São Paulo nos últimos dez anos. Muitos produtores têm optado por outras atividades mais rentáveis como soja, milho e bovinocultura. Aparentemente, nem os preços em evolução verificados ao longo dos últimos anos foram suficientes para que os agricultores paulistas se animassem a expandir suas áreas de arroz. A produção paulista está concentrada no Vale do Paraíba, com as Regionais da CATI de Guaratinguetá e Pindamonhangaba respondendo por 62,5% da área de arroz do estado.

 

2.3 – Batata das Águas (1ª Safra)

 

 

O levantamento de setembro para a batata das águas refere-se à intenção de plantio. As informações apontam para um aumento da área cultivada em relação ao ano passado de 8,1%, passando de 7,8 para 8,4 mil hectares. As principais produtoras são as CATI Regionais de Avaré, Itapeva e Itapetininga.

 

2.4 – Feijão das Águas (1ª Safra)

 



O levantamento de setembro trouxe as primeiras informações sobre a intenção de plantio do feijão das águas da safra paulista de 2022/23, com estimativa da área a ser plantada em 51,1 mil hectares, resultado que aponta expansão de 13,3% em relação a área cultivada na safra 2021/2022. Esse aumento na intenção de plantio foi verificado nas duas maiores regiões produtoras, Itapeva e Avaré, com previsão de crescimentos respectivos de 14,0% e 24,6% em relação à safra passada. O próximo levantamento a ser realizado em novembro de 2022 trará números mais precisos que poderão confirmar ou não esse resultado positivo para essa cultura.

 

2.5 - Milho (1ª Safra)

 

 

 

O levantamento de intenção de plantio do milho 1ª safra indica expansão de área de 8,1%, passando de 333,3 mil hectares para 360,4 mil hectares. Esse resultado se fundamenta na intenção de expansão de área nas regiões de Araçatuba, Orlândia e Presidente Prudente. O levantamento de novembro trará informações de confirmação ou não desta tendência.

 

2.6 – Soja


Na cultura da soja, os resultados de intenção de plantio mostram que a cultura deve continuar a ganhar área no estado. A variação esperada desse próximo ciclo que está se iniciando em relação ao de 2021/22 é de 2,0%, passando de 1.263,6 mil hectares para 1.288,6 mil hectares. Em decorrência da presença de chuvas ocorridas em outubro de 2022, não se espera atraso no plantio dessa próxima safra e, com isso, os dados a serem levantados em novembro, possivelmente irão confirmar as informações de intenção de plantio. 

 

 

3 - PREVISÕES DA SAFRA AGRÍCOLA PARA BATATA DE INVERNO, CANA-DE-AÇÚCAR, CEBOLA DE PLANTIO DIRETO E LARANJA, SAFRA 2021/22

O levantamento de setembro de 2022 traz estimativas preliminares que antecedem o final da safra paulista de 2021/2022 para as culturas da cana-de-açúcar, batata de inverno, cebola em plantio direto e da laranja (Tabela 2).

 

 

 

3.1 – Batata de Inverno (3ª Safra)

 

O segundo levantamento para a batata de inverno aponta pequena redução de área (-6,1%), alcançando 12,0 mil hectares nessa safra, frente aos 12,8 mil hectares da safra passada. No que se refere à produção, apresentou-se uma redução em -3,1%, passando de 434,2 mil toneladas para 420,9 mil toneladas, o que indica um aumento na produtividade de 3,2%, chegando aos 34.973 kg por hectare. As principais regionais produtoras são: São João da Boa Vista, Itapeva e Itapetininga.

 

3.2 – Cana para Indústria

 



Os dados apresentados no 4º levantamento da safra de cana-de-açúcar, realizado em setembro de 2022, indicam volume de 421,0 milhões de toneladas, 3,1% superior ao obtido na safra passada. A área ocupada com a cultura no estado se manteve praticamente a mesma em 5,47 milhões de hectares nesta safra 2021/22, em comparação aos 5,51 milhões de hectares na safra 2020/21. Esses resultados conjugados indicam elevação de 3,8% na produtividade nesta safra (76.942 kg/ha). As Regionais da CATI com maior produção foram Barretos, Orlândia, Ribeirão Preto, Araraquara e São José do Rio Preto, que juntas respondem por 31,5% da safra paulista.

 

 

 

 

3.3 – Cebola de Plantio Direto



 




O levantamento realizado em setembro relativo à cebola produzida em plantio direto indica redução na área cultivada de 5,8%, que passou de 2,2 mil hectares para 2,1 mil hectares. A produtividade também apresentou variação negativa, em 1,4%, chegando a 48.672 kg/ha, totalizando uma produção 7,1% menor, estimada em 100,4 mil toneladas. São João da Boa Vista, Jaboticabal e Itapeva são as principais regionais produtoras.

 

3.4 – Laranja

 



A quarta estimativa preliminar da safra agrícola 2021/22 para a cultura da laranja, nos 645 municípios do estado de São Paulo foi de 311,5 milhões de caixas de 40,8 kg (12.709 mil toneladas), resultado 5,2% superior em relação à safra anterior. O levantamento de setembro indica ainda 154,1 milhões de pés em produção. O levantamento de novembro deve trazer os resultados finais da safra 2021/22 da cultura da laranja. Em termos de produção, as principais Regionais da CATI são Barretos, São João da Boa Vista, Avaré, Mogi-Mirim e Botucatu. Essas cinco regionais são responsáveis, em conjunto, por 41,5% da produção paulista.

             

4 - ESTIMATIVAS FINAIS DA SAFRA 2021/22

Na pesquisa efetuada em setembro foram também obtidos números finais da safra agrícola 2021/2022 para as culturas de inverno (batata e feijão), banana, café, milho 2ª safra, trigo e triticale, disponíveis na tabela 3 para o total do estado.

 

 

4.1 – Banana

 

 

A estimativa final da safra 2021/22 da bananicultura apontou acréscimo de produção (6,6%) e de produtividade (10,6%) em relação à safra passada, ou seja, o total produzido foi de 1.129,7 mil toneladas, com produtividade de 21,9 t/ha. A área plantada teve decréscimo de (-3,7%) em relação ao ano anterior. A produção paulista encontra-se muito concentrada na regional de Registro (802,9 mil toneladas), que representa 71,1% do total produzido no estado. Nessa regional, os principais municípios produtores foram Cajati, Sete Barras e Eldorado. As regionais de Santos, Avaré e Jales produziram 144,3 mil toneladas (12,8% do total do estado). No que se refere às novas áreas plantadas da cultura, as regiões de Jales (673,0 hectares), Registro (451,0 hectares) e Fernandópolis (309,2 hectares) sinalizam, para o futuro, aumento do volume produzido. O Brasil é o quarto maior produtor de banana do mundo, e essa cultura é uma das atividades mais populares em todo o planeta. O estado de São Paulo é o maior produtor da fruta no país e gera, aproximadamente, mais de 500 mil empregos diretos3.

 

4.2 – Café

 



No quinto e final levantamento de safra de café no estado de São Paulo (setembro de 2022), estimou-se colheita 265,7 mil toneladas (corresponde a 4,43 milhões de sacas), representando avanço de 9,4% acima da safra agrícola 2020/21 e crescimento de 12,7% na produtividade média do estado, contabilizada em 23,30 sc./ha. Frente ao levantamento anterior (realizado em junho de 2022)4, a produção do levantamento atual ficou acima em 2,3%. Constatou-se redução na produção e produtividade do cinturão francano, registrando-se em setembro 1,58 milhão de sacas (queda de 7,9%), mais que compensada, porém, pelo incremento ocorrido no cinturão de São João da Boa Vista (expansão de 30,8%) que registrou inclusive a melhor produtividade média do estado, contabilizando 25,88 sc./ha. Em síntese, a safra final 2021/22, nesse levantamento encerrado, foi de apenas 379.878 sacas maior que a anterior, ou seja, tecnicamente, duas safras consecutivas com produção característica dos ciclos de baixa. Tal fato se repetiu em quase todos os cinturões de arábica do Brasil, pressionando as cotações que tendem a se manter elevadas, dado o contínuo rebaixamento dos estoques mundiais.

 

4.3 – Feijão de Inverno (3ª Safra)

 



No levantamento de setembro de 2022 foram obtidos os números finais da cultura de feijão de inverno (irrigado e sem irrigação) da safra agrícola 2021/22. A produção total foi estimada em 85,9 mil toneladas, 41,7% maior em relação ao volume produzido na safra 2020/21. Contribuíram para esse bom desempenho o aumento de 21,0% a área cultivada (28,7 mil hectares) e o incremento de 17,1% na produtividade (2.997 kg/ha). Vale destacar que 92% dessa produção foi cultivada em área com sistema de irrigação e apresenta uma produtividade média de 3.157 kg/ha, contra 1.825 kg/ha no sistema sequeiro. Quanto às principais regiões produtoras no estado de São Paulo, Avaré concentra 48,3% da produção paulista, seguida pelas regionais de São João da Boa Vista (17,9%) e Barretos (10,2%). Consolidando-se os resultados finais das produções das três safras de feijão, período das águas (131,9 mil toneladas)5, da seca (31,2 mil toneladas)6 e de inverno (85,9 mil toneladas), a produção total de feijão da safra 2021/22 no estado de São Paulo foi estimada em 249,0 mil toneladas, 6,7% maior em relação à safra 2020/21.

 

 

 

 

4.4 - Milho safrinha (2ª Safra)

 



 

Em relação ao milho 2ª safra (comumente conhecido como milho safrinha), observou-se nesse ciclo a recuperação produtiva em comparação com a quebra ocorrida em 2020/21. A produção cresceu 37,2%, fechando em 2.190,9 mil toneladas, ante 1.596,4 mil toneladas. As condições climáticas favoráveis nesse ciclo permitiram uma produtividade de 4.510 kg/ha, valor 39,0% superior ao ano safra anterior. A área em produção foi reduzida em 1,3%. No ano anterior alcançou 492,1 mil hectares e neste ciclo 485,8 mil hectares. Na região de Itapeva (importante área de produção), foi estimada uma redução de 5,6 mil hectares destinados ao cultivo do milho safrinha, resultado que explica o a diminuição de área estadual. As quatro principais regiões produtoras continuam a ser Assis, Ourinhos, Presidente Prudente e Itapeva, que juntas somam 67,5% da área estadual em produção.

 

4.5 – Trigo

 


Para a cultura do trigo, no levantamento de setembro de 2022 foram consolidados os dados finais da safra paulista 2021/22. A produção total foi estimada em 423,9 mil toneladas, 45,8% superior aos dados adquiridos no fechamento da safra 2020/21. Numa área de 131,4 mil hectares (variação positiva de 32,8%), a produtividade fechou em 3.226 kg/ha, 9,8% maior que o fechamento de 2020/21. Com preços internacionais atrativos, resultante da restrição de oferta ocasionada pela guerra entre a Ucrânia e a Rússia, a área cultivada na atual safra poderia ser ainda maior, se os preços do milho não estivessem também estimulantes, o que fez com que muitos agricultores optassem por semear o milho safrinha.  Em termos de produção regional, a Regional de Itapeva é a principal região produtora com participação de 59,2% da produção paulista, seguida pelas regiões de Avaré (20,0%) e de Itapetininga (13,5%). Essas três regionais localizadas no sudoeste do estado de São Paulo apresentam condições climáticas mais favoráveis para o cultivo do trigo.

 

4.6 – Triticale

 



Situação análoga à da cultura do trigo se verificou na cultura do triticale, guardada as devidas proporções, pelos mesmos motivos: a área cultivada com triticale foi estimada em 10,5 mil hectares (uma expansão de 81,8%), e a produção total, em 32,8 mil toneladas, o que corresponde a um aumento de 110,5% relativo ao resultado da safra 2020/21. O destino da produção do triticale é mais direcionado à alimentação animal, principalmente do gado leiteiro, sendo uma excelente opção em substituição ao milho. Cerca de 95% da produção paulista concentra-se na região sudoeste do estado, sendo Itapeva a maior região produtora com 67,7% de participação, seguida por Avaré (20,9%) e Itapetininga (7,0%).

 

 

 

 

1Os autores agradecem o desempenho no levantamento dos técnicos do DEXTRU, das Casas de Agricultura, dos diretores das CATI Regionais e da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI); os comentários de Celso Luis Rodrigues Vegro, Katia Nachiluk e Marisa Zeferino, pesquisadores do IEA; a colaboração de Pamela Brocenschi Padoan, técnica de apoio pesquisa científica e tecnológica, e da equipe do Núcleo de Informática para os Agronegócios (NIA) do IEA.

 

2Entende-se por método subjetivo a coleta e a sistematização de dados fornecidos pelos técnicos das Casas de Agricultura, em função de seu conhecimento regional e/ou da coleta de dados de forma declaratória, fornecida pelo responsável pela unidade de produção, em cada um dos 645 municípios do Estado de São Paulo.

 

3SIQUEIRA, I. BANANA: Brasil 4º maior produtor mundial da fruta. Agrolink, Porto Alegre, 23 set. 2022. Disponível em: https://www.agrolink.com.br/noticias/brasil-4--maior-produtor-mundial-da-fruta_470725.html. Acesso em: 4 nov. 2022.

 

4CAMARGO, F. P. de et al. Previsões e Estimativas das Safras Agrícolas do Estado de São Paulo, Ano Agrícola 2021/22, Junho de 2022. Análises e Indicadores do Agronegócio, São Paulo, v. 17, n. 8, ago. 2022, p. 1-19. Disponível em: http://www.iea.sp.gov.br/out/TerTexto.php?codTexto=16071. Acesso em: 4 nov. 2022.

5CAMARGO, F. P. de et al. Previsões e Estimativas das Safras Agrícolas do Estado de São Paulo, Ano Agrícola 2020/21, Fevereiro de 2021. Análises e Indicadores do Agronegócio, São Paulo, v. 16, n. 5, maio 2021, p. 1-15. Disponível em: http://www.iea.sp.gov.br/out/TerTexto.php?codTexto=16038. Acesso em: 4 nov. 2022.

 

6Op. cit. nota 4. 

 

Palavras-chave: previsão de safra, área e produção, safras agrícolas, 2021/22, 2022/23, estado de São Paulo.

 

 

 


Download das tabelas

COMO CITAR ESTE ARTIGO

CAMARGO, F. P. de et al. Previsões e Estimativas das Safras Agrícolas do Estado de São Paulo, Intenção de Plantio do Ano Agrícola 2022/23 e Levantamento Final Ano Agrícola 2021/22, Setembro de 2022. Análises e Indicadores do Agronegócio, São Paulo, v. 17, n. 11, nov. 2022, p. 1-14. Disponível em: colocar o link do artigo. Acesso em: dd mmm. aaaa.

Data de Publicação: 16/11/2022

Autor(es): Felipe Pires de Camargo (fpcamargo@sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Carlos Eduardo Fredo (cfredo@sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Celma Da Silva Lago Baptistella (csbaptistella@sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Danton Leonel de Camargo Bini (danton.camargo@sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
José Alberto Angelo (jose.angelo@sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Maximiliano Miura (maximiliano.miura@sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Paulo José Coelho (pjcoelho@sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Vagner Azarias Martins (vagnermartins@sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Leonardo Massao Nakama Consulte outros textos deste autor
Talita Tavares Ferreira (taferreira@sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor

 

 

 


Governo do Estado de SP